As sugestões do The Guardian para conhecer Portugal através dos livros

Por: Bertrand Livreiros a 2020-06-02 // Coordenação Editorial: Marisa Sousa

20%

Memorial do Convento
17,70€ 14,16€
PORTES GRÁTIS

10%

Meia-Noite ou o Princípio do Mundo
18,80€
10% CARTÃO LEITOR BERTRAND
PORTES GRÁTIS
Alentejo Blue
13,43€
Take Six
14,36€

10%

Comboio Nocturno para Lisboa
22,90€
10% CARTÃO LEITOR BERTRAND
PORTES GRÁTIS

10%

Afirma Pereira
15,90€
10% CARTÃO LEITOR BERTRAND
PORTES GRÁTIS

10%

As Altas Montanhas de Portugal
17,50€
10% CARTÃO LEITOR BERTRAND
PORTES GRÁTIS

20%

Contos da Montanha
5,95€ 4,76€
PORTES GRÁTIS

20%

Os Maias
11,10€ 8,88€
PORTES GRÁTIS

Numa altura em que as viagens estão ainda restringidas, o jornal The Guardian segue o exemplo lançado pelo Turismo de Portugal - que, no passado mês de abril, alterou o seu mote de VisitPortugal para ReadPortugal - e apresenta uma seleção de obras através das quais é possível ficar a conhecer o nosso país. Oliver Balch, autor do artigo, explica a sua opção por livros de ficção por considerar que, apesar de já ter lido muito sobre a História de Portugal, foi apenas quando leu Saramago ou Pessoa que sentiu conhecer verdadeiramente o povo português. Entre as suas escolhas, existem clássicos e outros títulos mais recentes, bem como livros de autores portugueses e estrangeiros. 


Memorial do Convento, de José Saramago

A primeira sugestão é um clássico da literatura portuguesa, da autoria de José Saramago. Embora seja conhecido internacionalmente como a história de Baltasar e Blimunda (Baltasar and Blimunda), a personagem principal de Memorial do Convento é o Convento de Mafra, cuja construção serve de inspiração ao enredo. Imortalizando um episódio da História de Portugal, bem como a história de amor entre duas personagens inesquecíveis que passeiam "o seu amor pelo Portugal violento e inquisitorial dos tristes tempos do rei D. João V." (Diário de Notícias, 9 de outubro de 1998), esta é uma obra de referência de um dos mais distintos autores portugueses. Quem não conhece a premissa deste romance? "Era uma vez um rei que fez promessas de levantar um convento em Mafra... Era uma vez a gente que construiu esse convento... Era uma vez um soldado maneta e uma mulher que tinha poderes... Era uma vez um padre que queria voar e morreu doido". 

 

Convento Nacional de Mafra/Visão

 

Meia-Noite ou o Princípio do Mundo, de Richard Zimler

Menos conhecido do que a primeira é esta obra de 2017, de Richard Zimler, que foi Finalista do Prémio Livro do Ano Bertrand no mesmo anoMeia-Noite ou o Princípio do Mundo conta a história John Zarco Stewart, filho de uma judia portuguesa e de um escocês, nascido no início do século XIX. John é uma criança endiabrada, sensível e profundamente curiosa, herdeira sem o saber de uma fé amortalhada por três séculos de secretismo. Mas um período de perda e amargas revelações põe um fim abrupto à sua inocência, e só a misteriosa intervenção de um carismático curandeiro, trazido de África para o Porto pelo pai, consegue salvá-lo. Profundo conhecedor da sabedoria milenar do seu povo e antigo escravo, Meia-Noite tornar-se-á o maior amigo de John e determinará o curso do seu destino.
 

Alentejo Blue, de Monica Ali

Da autoria da escritora Monica Ali, cujo romance de estreia foi nomeado para o prémio Man Booker, Alentejo Blue relata a história de uma pitoresca vila alentejana e dos que lá vivem, viveram ou que por lá passaram. Apesar de fictícia, a vila Mamarrosa, é inspirada nas vilas alentejanas que Ali descreve como um lugar de onde se quer fugir, para uns, e um local de refúgio, para outros. No café do Vasco, uma das personagens, confluem habitantes e forasteiros, com as suas histórias de vida recheadas dos mais banais - e, ao mesmo tempo, marcantes - aspetos humanos.
 

Monsaraz/Trip Advisor

 

Take Six: Six Portuguese Women, de Sophia de Mello Breyner Andresen, Agustina Bessa-Luís, Maria Judite de Carvalho, Hélia Correia, Teolinda Gersão e Lídia Jorge

Apesar de haver menos autoras portuguesas traduzidas para inglês do que autores, a partir desta antologia de contos intitulada Take Six: Six Portuguese Women, o público internacional pode ficar a conhecer algumas das mais importantes figuras femininas da literatura portuguesa. Entre as autoras destacadas encontram-se a poetisa Sophia de Mello Breyner, a vencedora do Prémio Camões 2004, Agustina Bessa-Luís ou a romancista Lídia Jorge. Para além desta primeira abordagem às autoras portuguesas, The Guardian recomenda ainda Novas Cartas Portuguesas, a controversa obra das "três Marias" - Maria Isabel Barreno, Maria Velho da Costa e Maria Teresa Horta, que, durante a ditadura do Estado Novo, foi apreendido pelo regime. 

 

Comboio Nocturno para Lisboa, de Pascal Mercier 

Um fenómeno editorial na Europa, Comboio Nocturno para Lisboa vendeu dois milhões e meio de exemplares desde que foi publicado, em 2004, na Alemanha, onde figurou durante três anos na tabela dos livros mais vendidos. O sucesso transformou até o título do livro escrito por Pascal Mercier - pseudónimo literário do filósofo Peter Bieri -, numa expressão idiomática, utilizada para referir alguém que pretende mudar de vida. Em 2013, seguiu-se a adaptação cinematográfica, pelo realizador  Bille Auguste, protagonizada por Jeremy Irons, voltando  a dar destaque à história de Raimund Gregorius, um professor de grego e latim de 57 anos, que apanha um comboio para a capital portuguesa para aprender mais sobre o regime ditatorial de Salazar. Quando questionado acerca do motivo de ter escrito um livro cujo enredo decorre em Portugal, o autor, admirador confesso de Fernando Pessoa, diz que foi motivado pelo som da língua e pela "melodia das frases". 

 

Frame da adaptação cinematográfica de "Comboio Nocturno por Lisboa, por Bille August.

 

Afirma Pereira, de Antonio Tabucchi 

Passado em Lisboa, no ano de 1938, durante o Estado Novo, Afirma Pereira, de Antonio Tabucchi, conta a história de Pereira, um jornalista que recebe o encargo de dirigir a página cultural de um jornal medíocre. Necessitado de um colaborador, contacta o jovem Monteiro Rossi, antissalarazista militante, com quem irá desenvolver uma relação intensa apesar das suas personalidades díspares. Apesar de ser italiano, Tabucchi conhece Portugal desde os 22 anos e considera-o o seu “país de adopção”, tendo traduzido e dirigido a edição italiana dos textos de Fernando Pessoa.

 

As Altas Montanhas de Portugal, de Yann Martel 

Do autor de A Vida de Pi, romance vencedor do Man Booker Prize cuja adaptação cinematográfica venceu quatro Óscares, chega-nos, em 2016, As Altas Montanhas de Portugal. Partindo de três histórias interligadas que refletem sobre o tema da perda, Yann Martel leva-nos numa viagem pelo Portugal do século passado que é, ao mesmo tempo, uma viagem interior. No final, cada jornada individual conduz-nos até à vila de Tuizelo que, apesar de inserida numa história fictícia, existe realmente, estando localizada no Parque Natural de Montesinho. Misturando humor e mistério, esta é uma história que explora, de forma original, questões prementes da condição humana. 

 

Serra da Estrela/Unsplash

 

O Retorno, de Dulce Maria Cardoso

Uma das obras mais importantes (e mais traduzidas) de Dulce Maria Cardoso, O Retorno, conta a história dos 600 mil portugueses que regressaram de África em situações dramáticas, depois do 25 de Abril. Passado em Luanda, em 1975, relata os ódios e as guerras que nasceram durante o processo de descolonização, focando-se na história de Rui, um adolescente, e da sua família que, durante mais de um ano, viveram num quarto de um hotel de 5 estrelas, a abarrotar de retornados — um improvável purgatório sem salvação garantida, que se degrada de dia para dia. A autora parte da sua própria experiência e memórias: viveu em Luanda desde os seis meses de idade e regressou a Portugal após a descolonização e o início da guerra civil em Angola.

 

Os Maias, Eça de Queiroz

Embora refira também A Ilustre Casa de Ramires e A Cidade e as Serras, elogiando a escrita satírica e realista que caracterizam os romances do autor, o The Guardian recomenda a obra mais conhecida de Eça de Queiroz, Os Maias. A mais famosa história de incesto da nossa literatura é bem conhecida de todos os portugueses e já se tornou um verdadeiro clássico. Recentemente, mereceu uma adaptação cinematográfica, realizada por João Botelho, contando com Graciano Dias, Maria Flor, João Perry e Pedro Inês nos papéis principais. 

 

Frame da adaptação cinematográfica de "Os Maias", por João Botelho.

 

Contos da Montanha, de Miguel Torga

Em 1941, Miguel Torga publicou um livro de contos intitulado Montanha que foi, imediatamente, apreendido pela polícia política. Numa carta escrita em abril desse ano, o autor Vitorino Nemésio, solidarizando-se com o amigo, escreveu a propósito dessa apreensão: "Acho a coisa tão estranha e arbitrária que não encontro palavras. De resto, para quê palavras se nelas é que está o crime?". Finalmente, em 1968, a obra foi publicada novamente em Coimbra (após uma edição brasileira que circulou clandestinamente em Portugal, desta vez com o título Contos da Montanha. Com Trás-os-montes como cenário, estes contos relatam a vida e as dificuldades da população que vivia nesta região durante o regime.

X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.