blogue-somos-livros-alisa-anton-u_z0X-yrJIE-unsplash-tile.jpg

"Crepúsculo", de Louise Glück

Aos 77 anos, a poeta norte-americana Louise Glück já não esperava vir a ser laureada com o Prémio Nobel da Literatura. Contudo, foi pela sua “voz poética inconfundível que, com uma beleza austera, torna a existência individual universal" que a Academia a escolheu, alcançando com isso o maior prémio que qualquer autor pode receber - o de fazer chegar a sua arte a mais leitores. Desde o anúncio, feito em outubro, foram editados quatro livros de poesia da autora (pela editora Relógio d'Água).É um poema incluíndo num destes livros - Uma Vida de Aldeia - que partilhamos consigo hoje.

blogue-somos-livros-elisa-calvet-b-S3nUOqDmUvc-unsplash-tile.jpg

"A meu favor", de Alexandre O'Neill

Alexandre Manuel Vahia de Castro O'Neill de Bulhões nasceu a 19 de dezembro de 1924, em Lisboa, e morreu a 21 de agosto de 1986, na mesma cidade. Poeta fundador do Grupo Surrealista de Lisboa, juntamente com Mário Cesariny, António Pedro, e José-Augusto França, recebeu, pelas suas Poesias Completas, o Prémio da Crítica do Centro Português da Associação Internacional de Críticos Literários (1983). 

blogue-somos-livros-sophia2-tile.jpg

"Igrina", de Sophia de Mello Breyner Andresen

Confessava Sophia de Mello Breyner Andresen que a poesia não lhe pedia "propriamente uma especialização pois a sua arte é uma arte do ser. Também não é tempo ou trabalho o que a poesia me pede. Nem me pede uma ciência nem uma estética nem uma teoria. Pede-me antes a inteireza do meu ser, uma consciência mais funda do que a minha inteligência, uma fidelidade mais pura do que aquela que eu posso controlar." Tendo dedicado a inteireza do seu ser à poesia, foi uma das mais importantes poetas da sua geração e, possivelmente, das gerações vindouras, sendo vários os autores e leitores que apontam a injustiça de nunca lhe ter sido atribuído o Nobel. 

blogue-somos-livros-carlos-drummond-de-andrade-2-tile.jpg

"O amor bate na aorta", de Carlos Drummond de Andrade

Na semana em que comemoramos o aniversário de um dos mais importantes poetas do Modernismo brasileiro, recordamo-lo com um dos seus mais belos poemas - sobre o amor, esse "bicho instruído".

blogue-somos-livros-cha-tile.jpg

“O Poema ensina a cair”, de Luiza Neto Jorge

"Na sua poesia está o lugar da sua casa, numa Rua que se chamou do Mundo." Assim se refere Fernando Cabral Martins à obra de Luiza Neto Jorge. Neste dia de chuva, recordamos o poema "O poema ensina a cair" que inspirou o título do podcast de Raquel Marinho sobre poesia.

blogue-somos-livros-fp-tile.png

130 anos de Álvaro de Campos, o poeta futurista e fingidor

Comemoramos hoje, dia 15 de outubro, 130 anos desde o nascimento de Álvaro de Campos em Fernando Pessoa, recordando o momento em que o heterónimo lhe surgiu pela primeira vez e um dos seus poemas mais célebres, "Aniversário".

blogue-somos-livros-ginsberg-tile.jpg

"Canção", de Allen Ginsberg

Foi num dia de outono como o de hoje (a 7 de outubro de 1955) que Allen Ginsberg, poeta americano da geração Beat, fez, na Six Gallery, em São Franciso, a primeira leitura do seu poema Howl (Uivo). Tendo sido apreendido aquando da sua publicação pelos serviços alfandegários dos Estados Unidos e pela polícia de São Francisco, esta que é considerada a sua obra-prima

blogue-somos-livros-annie-spratt-732oJ3ju3AU-unsplash-tile.jpg

"Príncipe no roseiral", de Matilde Campilho

Nascida em Lisboa em 1982, Matilde Campilho começou por publicar poemas nos jornais brasileiros A Folha de São Paulo e O Globo, assim como em algumas revistas online. No ano de 2010 foi viver para o Brasil, e desde então mora entre o Rio de Janeiro e Lisboa. Em 2014, publicou o seu primeiro livro de poesia, Jóquei, como parte da coleção de poesia coordenada por Pedro Mexia para a editora Tinta da China.A este seguiu-se Flecha, o primeiro romance da autora, publicado em 2020. Fique com o poema Príncipe no roseiral.

blogue-somos-livros-neruda-tile.jpg

"Corpo de mulher", de Pablo Neruda

Embora originalmente tenha sido um pseudónimo de Ricardo Eliécer Neftalí Reyes Basoalto, o poeta chileno Pablo Neruda acabou por adotar legalmente o nome com que ficou conhecido como um dos mais importantes poetas da língua castelhana do século XX. Em 1971, foi consagrado com o Nobel da literatura por “ser autor de uma poesia que, por ação de uma força elementar, dá vida ao destino e aos sonhos de um Continente", enquanto ocupava o cargo de embaixador na França, nomeado pelo então presidente chileno Salvador Allende.

X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.