Estes são os finalistas do Goodreads Choice Awards 2020

Por: Sónia Rodrigues Pinto a 2020-12-21 // Coordenação Editorial: Marisa Sousa

Christopher Paolini

Christopher Paolini

Christopher Paolini nasceu no Sul da Califórnia e viveu a maior parte da sua vida em Paradise Valley, no Montana, com os pais e a irmã mais nova, Angela. Foi a sua paixão pela fantasia e a beleza natural do Montana que inspiraram o fantástico cenário de Eragon, o primeiro livro do Ciclo da Herança. Tinha quinze anos quando escreveu a primeira versão de Eragon, que acabou por ser publicado em 2003, transformando-se de imediato num sucesso mundial. Seguiu-se Eldest, o segundo capítulo do Ciclo que acompanha Eragon e o dragão Saphira, e depois Brisingr e Herança. Artista talentoso, Christopher desenhou também as ilustrações dos livros. Nos seus tempos livres gosta de afiar facas, entreter-se com videojogos, levantar coisas pesadas, e procurar exemplares perfeitos de cadernos com capa em pele.

VER +
Matt Haig

Matt Haig

Matt Haig é natural de Sheffield, em Inglaterra, e começou a sua carreira como jornalista, tendo colaborado com conceituadas publicações britânicas. Iniciou-se na escrita de ficção em 2004 e, desde então, nunca mais parou, sendo atualmente um autor bestseller internacional de obras para adultos e para o público mais jovem, com livros publicados em mais de 30 idiomas.
Considerado pelo New York Times como «um romancista de grande talento», apresenta-nos histórias que muitas vezes fundem a realidade com a fantasia, oferecendo-nos uma escrita que o Guardian descreve como sendo «deliciosamente estranha».

VER +
Barack Obama

Barack Obama

Político norte-americano, Barack Hussein Obama II nasceu em Honolulu, no Havai, Estados Unidos da América, a 4 de agosto de 1961. Filho de um economista queniano e de uma antropóloga americana, Obama cresceu no Havai, viveu alguns anos na Indonésia e mais tarde foi para Nova Iorque. Lá, estudou na Universidade de Columbia, onde se formou em Ciências Políticas em 1983.
Em 1985, Obama resolveu colocar de parte a sua vida académica por algum tempo e mudou-se para Chicago onde se tornou num dinamizador da comunidade, trabalhando com um grupo de orientação religiosa que procurava melhorar as condições de vida nos bairros pobres marcados pelo crime e por altas taxas de desemprego. Ao desenvolver este trabalho, Obama percebeu que para conseguir melhorar verdadeiramente as vidas das pessoas não só daquela comunidade, como de outras, era necessária uma mudança quer a nível legislativo, quer a nível político.
Em 1988, regressou aos estudos na Universidade de Harvard, onde concluiu o seu doutoramento em Direito com distinção três anos depois. Na mesma universidade, o jovem tornar-se-ia o primeiro afro-americano a ser presidente da Harvard Law Review. Pouco depois regressou a Chicago onde exerceu a sua profissão - ocupando-se principalmente de casos relacionados com Direitos Civis - e deu aulas de Direito de Constitucional na Faculdade de Direito da Universidade de Chicago. A prática do Direito acabou por levá-lo a concorrer pelo Partido Democrata ao Senado do Estado de Illinois, onde desempenhou as funções de senador durante oito anos. Apesar da sua filiação aos democratas, durante o tempo em que desempenhou estas suas funções, Barack Obama trabalhou quer com democratas, quer com republicanos, na tentativa de melhorar as condições de vida dos habitantes daquele estado. Entre as medidas que tomou destacam-se: criação de um programa que aumentava os créditos dos impostos (Earned Income Tax Credit), para ajudar trabalhadores e famílias com baixos rendimentos (em três anos... mais de 100 milhões de dólares em reduções nos impostos de famílias de todo o estado); promoção do aumento dos subsídios para a educação infantil; promulgação de algumas reformas relacionadas com a pena de morte (requereu que todos os interrogatórios e confissões de arguidos envolvidos em casos capitais fossem gravados), depois de se descobrir que alguns dos reclusos do corredor da morte eram inocentes.
Em 2004, Barack Obama concorreu ao Senado dos Estados Unidos e conseguiu ser eleito, apresentado por isso a sua demissão do Senado do Estado de Illinois. Tomou posse em janeiro de 2005 e tornou-se no 5.º senador afro-americano na História dos EUA e no 3.º a ser eleito por escrutínio popular. Durante o seu mandato esteve envolvido em várias iniciativas de grande importância: votou a favor do Energy Policy Act, foi um dos responsáveis pelo Secure America and Orderly Immigration Act e criou o Coburn-Obama Transparent Act (que permite aos cidadãos acederem a um motor de busca, designado USAspending.gov, e verificar de que forma é gasto o dinheiro dos impostos), entre outras decisões.
Em fevereiro de 2007, Barack Obama anunciou a sua candidatura à Presidência dos Estados Unidos da América. A campanha de Obama bateu todos os recordes no que diz respeito à angariação de fundos. De tal forma que ele se tornou no primeiro candidato a recusar o financiamento público na eleição geral desde que o sistema de financiamento foi criado em 1976.
Houve vários candidatos do Partido Democrata às eleições primárias, mas a disputa final deu-se entre Barack Obama e Hillary Clinton. Estando a vitória de Obama quase certa, Hillary Clinton acabou por desistir e apoiar Obama. Este foi nomeado o candidato oficial do Partido Democrata e concorreu contra o nomeado republicano, o senador John McCain. Em Agosto de 2008, Obama escolheu o senador do Delaware Joe Biden para ser vice-presidente.
Barack Obama é considerado um mestre da oratória e defende a via diplomática para a resolução dos conflitos. Durante a campanha eleitoral deu a conhecer as suas posições políticas e os seus objetivos para o país: é um crítico da Administração Bush (nomeadamente da posição relativamente à guerra do Iraque), defende o fim da guerra do Iraque, pretende a redução do arsenal nuclear e a diminuição de investimento em armamento, defende o investimento em combustíveis alternativos para aumentar a independência energética dos EUA e pretende a generalização dos cuidados de saúde.
No dia 4 de novembro de 2008, Barack Obama derrotou John McCain nas eleições presidenciais e tornou-se no primeiro afro-americano a ser eleito presidente dos Estados Unidos da América. A 8 de janeiro de 2009, o Congresso dos EUA certificou a contagem dos votos do Colégio Eleitoral e Barack Obama foi declarado o 44.º presidente dos Estados Unidos. A cerimónia da tomada de posse ocorreu no dia 20 de janeiro de 2009, no Capitólio.
A 9 de outubro de 2009, O chefe de Estado norte-americano foi galardoado com o Prémio Nobel da Paz.
Barack Obama. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2010.

VER +
Margaret Atwood

Margaret Atwood

Margaret Atwood nasceu em Otava, em 1939. É a mais celebrada autora canadiana e, além de A História de Uma Serva – agora uma série de televisão multipremiada –, publicou mais de quarenta livros de ficção, poesia e ensaio. Recebeu diversos prémios literários ao longo da sua carreira, incluindo o Arthur C. Clarke, o Booker Prize (em duas ocasiões, por O Assassino Cego, em 2000, e por Os Testamentos, em 2019), o Prémio Príncipe das Astúrias para a Literatura, o Pen Center USA Lifetime Achievement Award e o Prémio da Paz dos Editores e Livreiros Alemães. Foi ainda agraciada com o título de Chevalier da Ordem das Artes e das Letras de França e com a Cruz de Oficial da Ordem de Mérito da República Federal da Alemanha. Uma das mais ativas vozes do feminismo moderno, na ficção e na não ficção, está traduzida para trinta e cinco línguas. Vive em Toronto.

VER +
Sarah J. Maas

Sarah J. Maas

Sarah J. Maas está entre os autores de maior sucesso nos tops de vendas do The New York Times e do USA Today com a série Trono de Vidro. Sarah vive em Bucks County, na Pensilvânia. Ao longo dos anos, desenvolveu uma paixão pouco saudável por filmes da Disney e por música pop de qualidade duvidável. Adora contos de fadas e ballet, bebe muito chá e vê demasiada televisão. Quando não está ocupada a escrever, pode ser vista a explorar as belíssimas zonas históricas da Pensilvânia rural na companhia do marido e do seu cão.

VER +
David Attenborough

David Attenborough

Sir David Attenborough, nascido em Londres em 1926, é o naturalista mais famoso do planeta, cuja carreira televisiva está agora na sétima década. Depois de estudar Ciências Naturais em Cambridge, foi trabalhar para a BBC em 1952 como produtor estagiário. Enquanto participava na série Zoo Quest (1954-64) teve a primeira oportunidade de realizar expedições a zonas remotas do globo, para captar imagens muito próximas da vida selvagem no seu habitat natural. Desempenhou as funções de diretor da BBC2 (1965-68) e de diretor de programação da BBC (1969-72), mas abandonou a administração em 1973 para regressar à criação de programas, tendo escrito e apresentado uma série em treze episódios, A Vida na Terra (1979), que traçava a história evolutiva de animais e plantas. A esta seguiram-se muitas outras séries de grande êxito, como Planeta Vivo (1984), Os Desafios da Vida (1990), A Vida Privada das Plantas (1995), Planeta Azul (2001), Planeta Terra (2006) e Planeta Terra II (2016), e o documentário Uma Vida no Nosso Planeta (2020), que analisam todos os aspetos da vida no planeta. Aventuras de um Jovem Naturalista e o seu testemunho e visão para o futuro, Uma Vida no Nosso Planeta, foram publicados pela Temas e Debates.

VER +

10%

The Midnight Library
21,88€
10% CARTÃO LEITOR BERTRAND
PORTES GRÁTIS

10%

Uma Terra Prometida
29,45€
10% CARTÃO LEITOR BERTRAND
PORTES GRÁTIS

10%

Dormir Num Mar de Estrelas
24,90€
10% CARTÃO LEITOR BERTRAND
PORTES GRÁTIS

10%

Uma Vida no Nosso Planeta
18,80€
10% CARTÃO LEITOR BERTRAND
PORTES GRÁTIS

10%

Dearly
16,25€
10% CARTÃO LEITOR BERTRAND
PORTES GRÁTIS

10%

Stamped: Racism, Antiracism, And You
19,30€
10% CARTÃO LEITOR BERTRAND
PORTES GRÁTIS

Foram mais de cinco milhões os votos que, espalhados por todo o mundo, decidiram os vencedores dos prémios anuais do Goodreads. A comunidade literária juntou-se para decidir quais os melhores livros de 2020, naquele que é um dos sites mais populares dedicados à leitura, criado em 2006 e propriedade da Amazon. 

Conheça os vencedores do Goodreads Choice Awards 2020 e aproveite para se inspirar, se ainda tem prendas de última hora para comprar, para este Natal. 

 


 

Matt Haig e o livro The Midnight Library

 
MELHOR LIVRO DE FICÇÃO // The Midnight Library, de Matt Haig

Autor de O Mundo à Beira de um Ataque de Nervos e Eva e os Animais, Matt Haig é conhecido pela sua versatilidade, ao escrever ficção para adultos e crianças. O escritor e jornalista britânico publicou, em agosto de 2020, The Midnight Library e a resposta do público tem sido mais do que positiva. 

Numa biblioteca com um número infinito de livros, existe a possibilidade de descobrir a realidade alternativa daquilo que somos, contando que tenhamos a coragem de abrir um desses livros e descobrir o que poderia ser a nossa vida. A personagem principal, Nora Seed, encara esta possibilidade e terá de perceber o que a completa verdadeiramente, e até que ponto valerá a pena descobrir outras realidades de si mesma nesta biblioteca. 

A editora TopSeller já anunciou a publicação deste livro, em português, em junho de 2021.
 

 
MELHOR AUTOBIOGRAFIA E TESTEMUNHO // Uma Terra Prometida, de Barack Obama

Depois do sucesso de Michelle Obama, com a autobiografia Becoming – A Minha História, o ex-presidente dos Estados Unidos da América decidiu seguir as pisadas da mulher e publicar, também, a sua história

Uma Terra Prometida foi publicado a 17 de novembro e, desde então, tem estado no top mundial de vendas. Barack Obama narra, na primeira pessoa, a história da sua improvável odisseia, de jovem em busca da própria identidade a líder do mundo livre, descrevendo com uma minúcia extraordinariamente pessoal quer a sua educação política quer os marcos do primeiro mandato da sua histórica presidência.

Para celebrar o lançamento mundial do livro, Obama criou uma playlist com as músicas que ouviu nos principais momentos da sua presidência.

 

 

MELHOR LIVRO DE FANTASIA // Crescent Ciry: House of Earth and Blood, de Sarah J. Maas

As mais de 800 páginas não conseguiram assustar os leitores na altura de decidir qual o melhor livro de fantasia deste ano. Sarah J. Maas, uma das autoras mais aclamadas da literatura internacional, conhecida pelas sagas Throne of Glass e A Court of Thorns and Roses, vê agora outro dos seus livros ser reconhecido pelo público, estreando-se oficialmente na literatura fantástica para adultos. 

Bryce Quinlan, parte humana e parte fae, vê a sua vida desmoronar-se à sua frente quando um assassínio brutal e sangrento choca Crescent City. Dois anos depois, Bryce procura apenas esquecer-se daquilo que presenciou. No entanto, quando os assassinatos recomeçam e o anjo Hunt Athalar é escolhido para a vigiar e desvendar o mistério do que aconteceu naquela noite, Bryce sabe que é impossível continuar a fingir que nada se passou.

 

 
MELHOR LIVRO DE FICÇÃO CIENTÍFICA // Dormir num Mar de Estrelas, de Christopher Paolini

Christopher Paolini ganhou o seu lugar de destaque na literatura internacional quando, em 2002, publicou Eragon. O primeiro livro da saga Ciclo da Herança foi escrito por Paolini nos seus anos de adolescência e publicado quando este tinha apenas 19 anos. Nove anos depois do último livro da tetralogia, Herança, e com um livro de contos sobre mundo de Alagaësia pelo meio, Christopher Paolini decide estrear-se na ficção científica com Dormir num Mar de Estrelas, provando que a sua mestria para a escrita não olha a géneros. 

Durante uma missão de rotina num planeta não colonizado, Kira Navárez descobre uma relíquia alienígena. O seu entusiasmo inicial transforma-se em terror quando o pó que agora cobre todas as superfícies começa a mexer-se. Já na nave, descobre que algo vive dentro dela, algo capaz de extrema violência. À medida que a guerra estala entre as estrelas, Kira é enviada numa odisseia de alcance extra galáctico, uma viagem de descoberta e transformação que a levará a questionar o próprio significado da condição humana.

 

 

MELHOR LIVRO DE MISTÉRIO E THRILLER // The Guest List, de Lucy Foley

The Guest List foi escolhido por Reese Witherspoon para o seu clube de leitura, no mês de junho de 2020. A atriz referiu que este thriller a fez lembrar “algumas das minhas histórias favoritas de Agatha Christie”. Agora, os leitores do Goodreads elegeram-no o melhor livro de mistério e thriller deste ano. 

Numa ilha perto da costa irlandesa, os convidados juntam-se para celebrar o casamento de uma estrela televisiva e da sua noiva, editora numa revista. É o tipo de casamento com que qualquer um sonha: um vestido de noiva feito por um designer, a localização remota, o whiskey caro à disposição dos convidados. Contudo, nem tudo parece ser assim tão perfeito quando um corpo aparece, desvendando com ele uma série de segredos mortais.

 

 

MELHOR LIVRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA // Uma Vida no Nosso Planeta, de David Attenborough

David Attenborough é um naturalista cuja carreira televisiva está agora na sua sétima década. Depois de estudar Ciências Naturais em Cambridge e de uma breve passagem pela edição, foi trabalhar para a BBC, onde chegou a diretor de programas. Recentemente, o historiador de 94 anos decidiu oferecer o seu testemunho sobre aquilo que considera ser um apelo urgente pelo nosso planeta. 

Uma Vida no Nosso Planeta é uma carta de amor à biodiversidade do mundo – e um pedido de ajuda para que o seu declínio não se transforme numa verdadeira extinção, sem possível correção. O livro já inspirou um documentário e está disponível na Netflix.

 

 

MELHOR LIVRO DE POESIA // Dearly, de Margaret Atwood

No meio dos livros de poesia mais aguardados de 2020 - de onde se destaca a mais recente colectânea de poemas de Rupi Kaur, Home Body -, quem venceu foi a incontornável Margaret Atwood, vencedora do Man Booker Prize em 2000 e 2019, e autora de A História de uma Serva

Depois de, em 2019, ter vencido na categoria Melhor Ficção com Os Testamentos, a sequela da distopia sobre a República de Gileade, Atwood resvalou para o lado da poesia, publicando Dearly, a sua primeira colectânea de poesia em mais de uma década. Aos leitores da Goodreads, a autora agradeceu a votação e relembrou que “o primeiro prémio que recebi foi pela poesia, em 1961, quando tinha 21 anos”

 

 

MELHOR LIVRO DE NÃO-FICÇÃO // Stamped, de Jason Reynolds e Ibram X. Kendi

Num ano em que se voltou a falar da necessidade de sermos ativamente antirracistas e em que os protestos contra a violência racial comprovaram que o movimento #BlackLivesMatter não pode ser esquecido, o livro de não-ficção mais votado mostra-nos que a educação é uma das melhores armas que temos contra o analfabetismo que mata.  

Stamped percorre a história do racismo, com foco nos Estados Unidos, e as várias narrativas de cariz político, literário e até mesmo filosófico, que tentaram justificar a escravidão, a opressão ou o genocídio. Um livro que alguns leitores, nos seus comentários pós-leitura, consideraram que devia ser “de leitura obrigatória nas escolas dos Estados Unidos da América”.

 


 

Descubra os restantes vencedores do Goodreads Choice Awards 2020 aqui

X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.