As Mães na Literatura

Por: Sónia Rodrigues Pinto a 2019-05-05 // Coordenação Editorial: Marisa Sousa

George R. R. Martin

George R. R. Martin

Trabalhou dez anos em Hollywood como argumentista e produtor de diversas séries e filmes de grande sucesso. Autor de várias coletâneas de contos e noveletas, foi em meados dos anos 90 que começou a sua obra mais famosa, As Crónicas de Gelo e Fogo. É a saga de fantasia mais vendida da atualidade e uma adaptação televisiva de grande sucesso foi realizada pela HBO. Um autor multifacetado, a sua obra estende-se a diversos géneros como o horror, a fantasia, a ficção científica, e a prova disso são os títulos Dying of the Light, Windhaven (com Lisa Turtle), The Armageddon Rag e Sonho Febril. O autor vive em Santa Fé, Novo México, com a sua mulher, Parris.

VER +
Emma Donoghue

Emma Donoghue

Emma Donoghue nasceu em Dublin, em 1969. É duplamente emigrante. Passou oito anos em Cambridge, Inglaterra, a tirar um doutoramento em literatura do século XVIII, antes de se mudar para London, Ontario. Por outro lado, Emma Donoghue também migra entre géneros literários: escreve argumentos assim como novelas históricas e contemporâneas e contos.
O seu bestseller internacional «O Quarto de Jack» foi finalista do Man Booker, Commonwealth e Orange Prizes e premiado com diversas distinções. A autoria do argumento para o filme «O Quarto» valeu-lhe uma nomeação para o Óscar de melhor adaptação de argumento original.

VER +
Louisa May Alcott

Louisa May Alcott

Louisa May Alcott é uma autora americana que sonhava ser atriz mas que acabou por se tornar numa escritora incontornável no panorama da literatura juvenil. Criada com a família na Nova Inglaterra, cresceu rodeada de destacados intelectuais, tais como Nathaniel Hawthorne e Henry David Thoreau, amigos do seu pai, que era filósofo e professor. Além da sua notoriedade como escritora, a autora tornou-se muito popular pelas posições que assumiu em defesa da abolição da escravatura e do direito de voto para as mulheres.

VER +
J. K. Rowling

J. K. Rowling

J. K. Rowling é autora da série bestseller Harry Potter, constituída por sete volumes publicados entre 1997 e 2007, a qual já vendeu mais de 500 milhões de exemplares em todo o mundo e deu origem a oito grandes produções cinematográficas.
A autora escreveu ainda três livros cujas receitas revertem a favor de instituições de solidariedade: O Quidditch Através dos Tempos, Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los (a favor da Comic Relief) e os Contos de Beedle o Bardo (a favor da Lumos). Em 2012, J. K. Rowling lançou a plataforma digital Pottermore, através da qual os fãs da autora poderão encontrar novidades, artigos, reportagens e os seus textos mais recentes.
O seu primeiro romance para adultos, Uma Morte Súbita, foi publicado em setembro de 2012 e adaptado à televisão pela BBC em 2015. Os seus romances policiais, escritos sob o pseudónimo Robert Galbraith, foram publicados em 2013 (Quando o Cuco Chama), 2014 (O Bicho da Seda), 2015 (Carreira do Mal) e 2018 (Lethal White). Estes livros foram adaptados ao formato televisivo numa produção da Brontë Film & Television para a BBC e a HBO. J. K. Rowling foi convidada para fazer o discurso de abertura da cerimónia de formatura da Universidade de Harvard em 2008, posteriormente publicado numa edição ilustrada, em 2015, sob o título Uma Vida Muito Boa, cujas receitas revertem a favor da instituição de solidariedade a que preside, a Lumus, bem como de projetos da Universidade de Harvard.
Em 2016, J. K. Rowling colaborou com o escritor Jack Thorne e o encenador John Tiffany na peça de teatro intitulada Harry Potter e a Criança Amaldiçoada Partes Um e Dois, em cena no Palace Theatre, em Londres, e no Lyric Theatre, na Broadway, em Nova Iorque.
O guião da peça de teatro Harry Potter e a Criança Amaldiçoada Partes Um e Dois e o argumento do filme Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los foram publicados em 2016.
Pottermore Publishing é a editora digital global das séries Harry Potter e Monstros Fantásticos, bem como de outros audiolivros e ebooks do Mundo Mágico de Harry Potter. Tem como objetivo liderar a inovação no domínio da edição digital e reunir as novas gerações de leitores com os fãs de longa data, celebrando e dando vida às histórias que começaram com O Rapaz que Sobreviveu (1º capítulo de Harry Potter e a Pedra Filosofal).
A autora não está disponível para entrevistas ou outros eventos relacionados com a publicação do argumento do filme.

VER +

10%

Mulherzinhas
13,90€
10% CARTÃO LEITOR BERTRAND
PORTES GRÁTIS

10%

A Guerra dos Tronos
19,03€
10% CARTÃO LEITOR BERTRAND
PORTES GRÁTIS

10%

Harry Potter e a Pedra Filosofal
15,90€
10% CARTÃO LEITOR BERTRAND
PORTES GRÁTIS

10%

The Tenant Of Wildfell Hall
9,00€
10% CARTÃO LEITOR BERTRAND
PORTES GRÁTIS

10%

O Quarto de Jack
17,70€
10% CARTÃO LEITOR BERTRAND
PORTES GRÁTIS

O Dia da Mãe pretende homenagear as mulheres que são o pilar fundador das nossas vidas. Decidimos ir à procura de algumas das mães mais marcantes na literatura.

De entre tantas possíveis, escolhemos cinco. Mesmo que não cheguem aos calcanhares da nossa.

 


 

SRA. MARCH, EM AS MULHERZINHAS (1868), DE LOUISA MAY ALCOTT

Margaret, ou “Marmee”, é a mãe das quatro irmãs March, figuras principais de um dos clássicos infanto-juvenis mais adorados de sempre. No meio das aventuras de Jo, Beth, Meg e Amy, encontramos uma mãe devota às suas filhas que tem também de lidar com dificuldades financeiras, enquanto o marido está fora, a servir no exército, na Guerra Civil Americana.

Em pleno século XIX, é impossível ficar indiferente à imagem quase perfeita da Sra. March, que educa quatro filhas da melhor forma possível, sozinha, transmitindo-lhes valores e ensinamentos essenciais, sem nunca influenciar as suas escolhas.

 

CATELYN STARK, EM A GUERRA DOS TRONOS (1996), DE GEORGE R. R. MARTIN

Qualquer ávido leitor de As Crónicas de Gelo e Fogo pode garantir que Catelyn Stark merece um lugar de destaque neste artigo e no nosso imaginário. A matriarca do clã Stark, possui uma força indescritível e é capaz de tudo para proteger os seus filhos das conspirações e perigos que os Sete Reinos apresentam.

Ao longo da história criada por George R. R. Martin, conhecemos as diferentes facetas que uma mãe pode assumir, ultrapassando limites em nome das suas crias. Desde a fria e cruel Cersei Lannister, até à imponente e sagaz Olenna Tyrell, a figura maternal é bem representada numa das obras de fantasia mais populares da atualidade.

 

MOLLY WEASLEY, EM HARRY POTTER E A PEDRA FILOSOFAL (1997), DE J. K. ROWLING

Para além dos seus poderes mágicos, na saga do Rapaz que Sobreviveu, Molly Weasley encantou-nos, acima de tudo, com o seu lado carinhoso e maternal. Mãe de seis rapazes e uma rapariga, o amor de Molly ainda sobrou para Harry Potter, que viu nela a mãe que nunca conseguiu ter com a tia Petunia.

O que há em Molly de ternurento e meigo, vem a dobrar em ferocidade e determinação no que diz respeito aos seus filhos – até porque ninguém se esquece da luta épica entre ela e Bellatrix Lestrange depois de esta tentar atacar Ginny, a Weasley mais nova, na Batalha de Hogwarts.

 

HELEN GRAHAM, EM THE TENANT OF WILDFELL HALL (1848), DE ANNE BRONTË

Anne Brontë utiliza Helen Graham como um reflexo da posição frágil das mulheres na sociedade vitoriana, transformando esta personagem numa das mais revolucionárias para a época. Os rumores dizem que se trata de “uma mulher cruel”, mas Helen é, na verdade, a mulher de um homem alcoólico detestável.

Disposta a proteger o seu filho do progenitor, a personagem principal deste clássico da literatura transforma-se numa feminista dos seus tempos,  disposta a afastar-se do marido e a ganhar alguma fonte de rendimento enquanto pintora – mas acima de tudo determinada a arranjar uma vida melhor para si e para o seu filho.

 

MAMÃ, EM O QUARTO DE JACK (2010), DE EMMA DONOGHUE

É impossível não ficarmos marcados com a Mamã de Jack, a personagem principal desta história que, na função de narrador, torna o enredo ainda mais angustiante. O Quarto sempre foi a vida toda de Jack, o mundo inteiro resumido a quatro paredes, pois nunca conheceu mais nada. O porto seguro de um menino de cinco anos e a prisão ofegante e cruel da sua Mamã, que um dia decide fugir.

Emma Donoghue baseou-se em vários casos de sequestro prolongado para chegar a este livro original e perturbante, mostrando que a coragem de uma mãe não conhece limites.

 

E a sua mãe, também é a melhor do mundo?

X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.