"Regresso a casa", de José Luís Peixoto

Por: Bertrand Livreiros a 2021-09-17 // Coordenação Editorial: Marisa Sousa

José Luís Peixoto

José Luís Peixoto

José Luís Peixoto nasceu em Galveias, em 1974.
É um dos autores de maior destaque da literatura portuguesa contemporânea. A sua obra ficcional e poética figura em dezenas de antologias, traduzidas num vasto número de idiomas, e é estudada em diversas universidades nacionais e estrangeiras.
Em 2001, acompanhando um imenso reconhecimento da crítica e do público, foi atribuído o Prémio Literário José Saramago ao romance Nenhum Olhar. Em 2007, Cemitério de Pianos recebeu o Prémio Cálamo Otra Mirada, destinado ao melhor romance estrangeiro publicado em Espanha. Com Livro, venceu o prémio Libro d'Europa, atribuído em Itália ao melhor romance europeu publicado no ano anterior, e em 2016 recebeu, no Brasil, o Prémio Oeanos com Galveias. As suas obras foram ainda finalistas de prémios internacionais como o Femina (França), Impac Dublin (Irlanda) ou o Portugal Telecom (Brasil). Na poesia, o livro Gaveta de Papéis recebeu o Prémio Daniel Faria e A Criança em Ruínas recebeu o Prémio da Sociedade Portuguesa de Autores. Em 2012, publicou Dentro do Segredo, Uma viagem na Coreia do Norte, a sua primeira incursão na literatura de viagens. Os seus romances estão traduzidos em mais de trinta idiomas. As suas mais recentes obras são Autobiografia (2019), na prosa, e Regresso a Casa (2020), na poesia.
Os seus romances estão traduzidos em mais de trinta idiomas.
Para saber mais sobre o autor: https://www.joseluispeixotoemviagem.com

VER +

10%

Regresso a Casa
14,39€
10% CARTÃO LEITOR BERTRAND
PORTES GRÁTIS

Últimos artigos publicados

Dois poemas de João Luís Barreto Guimarães

Médico, tradutor e poeta, João Luís Barreto Guimarães foi recentemente distinguido com Prémio Pessoa 2022. O júri da iniciativa do semanário Expresso e da Caixa Geral de Depósitos destacou que João Luís Barreto Guimarães "alia à virtude da palavra e da imaginação, uma reflexão por vezes irónica, por vezes realista, sempre duramente trabalhada, sem prejuízo do efeito estético na construção do poema". 

Dois poemas de Carlos Drummond de Andrade

Da vasta obra do poeta brasileiro Carlos Drummond de Andrade, surge agora e pela primeira vez em Portugal, uma edição conjunta de Boitempo, livro de poesias publicado inicialmente em três volumes, que reúne as coletâneas autobiográficas Boitempo (1968), Menino antigo (1973) e Esquecer para lembrar (1979), que foram sofrendo diversas reformulações. A propósito desta edição da Tinta-da-China, partilhamos dois dos poemas presentes na obra.

Três poemas para recordar António Gancho

Vinte e sete anos depois da primeira edição, a Assírio e Alvim reedita o conjunto de poemas que António Gancho confiou para publicação em 1995 e a que chamou O Ar da Manhã. Natural de Évora, o poeta — nomeado por Heberto Helder como uma das melhores vozes da poesia portuguesa — fez parte da geração literária dos surrealistas, intelectuais e artistas que frequentavam o Café Gelo, no Rossio, em Lisboa, tendo publicado, em 1990, o romance “As Dioptrias de Elisa”. A propósito da nova edição, partilhamos três dos seus poemas presentes na obra.

Para além de ser um dos romancistas de maior destaque da literatura portuguesa contemporânea, José Luís Peixoto tem também feito algumas incursões na poesia. O seu primeiro livro de poemas, A Criança em Ruínas, publicado em 2001, foi o vencedor do Prémio da Sociedade Portuguesa de Autores 2013. A esse, seguiu-se A Casa, a Escuridão no ano seguinte, e, em 2008, o livro Gaveta de Papéis, foi vencedor do Prémio Daniel Faria.

Regresso a casa é o poema que dá o título ao quarto livro de poesia de José Luís Peixoto e fala-nos das quatro paredes de uma casa - e de todas as suas recordações em tempo de pandemia. Foi o vencedor do Prémio Livro do Ano Bertrand 2020 na categoria de poesia (escolha dos leitores e dos livreiros).


Regresso a casa, de José Luís Peixoto

Repara na manhã que nos rodeia.

Saúda essa claridade, é um sopro

a correr-nos nas veias. Em tempos,

escrevi: quando me cansei de mentir

a mim próprio, comecei a escrever

um livro de poesia. Hoje, voltei a

aprender essa lição e, por isso,

estou aqui, estamos aqui. Por isso,

acendi a existência que nos rodeia

e nos preenche, que está em toda

a parte apenas porque estamos

parados diante desta palavra:

manhã.

Repara na lonjura que se estende

no interior da letra a, é claridade,

saúda-a. Repara no til, tão tímido

como certos sorrisos nossos.

Um livro de poesia, outra vez.

Uma pequena casa, habitada

pelo nosso tempo, pelos gestos

que fazemos dentro de nós,

reflexos ou sombras invisíveis,

memórias e toda esta claridade.

Estamos vivos, repara. Um livro

de poesia, como uma trégua secreta,

uma janela, como os teus olhos

a verem-me em silêncio, ou os meus

olhos a verem-te. Um livro de poesia,

como um regresso a casa.

 

O poema é como uma casa,

e a casa protege-nos.

 

(29 de março de 2020)

X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.