O mundo como palco - Shakespeare em confinamento

Por: Beatriz Sertório a 2020-04-27 // Coordenação Editorial: Marisa Sousa

William Shakespeare

William Shakespeare

Poeta e dramaturgo inglês nascido em 1564, em Stratford-Upon-Avon, e falecido em 1616. O seu aniversário é comemorado a 23 de abril e sabe-se que foi batizado a 26 de abril de 1564. Stratford-Upon-Avon era então uma próspera cidade mercantil, uma das mais importantes do condado de Warwickshire. O seu pai, John Shakespeare, era um comerciante bem sucedido e membro do conselho municipal. A mãe, Mary Arden, pertencia a uma das mais notáveis famílias de Warwickshire. Shakespeare frequentou o liceu de Stratford, onde os filhos dos comerciantes da região aprendiam Grego e Latim e recebiam uma educação apropriada à classe média a que pertenciam. São conhecidos poucos factos da vida de Shakespeare entre a altura em que deixou o liceu e o seu aparecimento em Londres como ator e dramaturgo por volta de 1599. Em 1582 casou com Anne Hathaway, oito anos mais velha do que ele, e o casal teve três filhos: Suzanna (nascida em 1583), e os gémeos Hamnet e Judith (nascidos em 1585). A primeira referência a Shakespeare como ator e dramaturgo encontra-se em A Groatsworth of Wit (1592), um folheto autobiográfico da autoria do dramaturgo londrino Robert Greene, onde o escritor é acusado de plágio. Nesta altura Shakespeare era já conhecido em Londres, embora não se saiba com exatidão a data do seu aparecimento na capital. Em virtude do encerramento dos teatros londrinos entre 1592-94, Shakespeare compôs nessa época dois poemas narrativos: Venus and Adonis (publicado em 1593) e The Rape of Lucrece (publicado em 1594). No inverno de 1594 integrou a mais importante companhia de teatro isabelina, The Lord Chamberlain's Men, onde permaneceu até ao final da sua carreira. A companhia deveu à popularidade de Shakespeare o seu lugar privilegiado entre as restantes companhias de teatro até ao encerramento dos teatros pelo Parlamento inglês em 1642. Em 1598 foi inaugurado o Globe Theatre, o teatro da companhia a que Shakespeare se associara, construído pelo ator e empresário Richard Burbage no bairro de Southwark, na margem sul do Tamisa. Depois da ascensão ao trono de Jaime I (em 1603) a companhia The Lord Chamberlain's Men passou para a tutela real, e o seu nome foi alterado para The King's Men. A passagem de Shakespeare pelos palcos associa-se a breves desempenhos: Adam na peça As You Like It e o fantasma (Ghost) em Hamlet. Depois de ter comprado algumas propriedades em Strattford, Shakespeare retirou-se para a sua terra natal em 1610, mantendo todavia o contacto com Londres. O Globe Theatre foi destruído pelo fogo no dia 23 de junho de 1613, durante uma representação da peça Henry VIII. Além de uma coleção de sonetos e de alguns poemas épicos, Shakespeare escreveu exclusivamente para o teatro. As suas 37 peças dividem-se geralmente em três categorias: comédias, dramas históricos e tragédias. Entre os dramas históricos, género que primeiro cultivou, destacam-se Richard III (Ricardo III), Richard II (Ricardo II) e Henry IV (Henrique IV). Entre as suas comédias contam-se Love's Labour's Lost, The Comedy of Errors, The Taming of the Shrew, a comédia de intenção séria The Merchant of Venice (O Mercador de Veneza), As You Like It (Como Quiserem) e A Midsummer Night's Dream (Um Sonho de Uma Noite de Verão). A tragédia não é uma forma que pertença exclusivamente a um determinado período na evolução da obra de Shakespeare. Sob influência de Marlowe, a forma de tragédia já se encontrava nas peças que dramatizavam episódios da História inglesa. Em Romeo and Juliet (Romeu e Julieta) e Julius Caesar (Júlio César) Shakespeare combinou a perspetiva histórica com uma interpretação trágica dos conflitos humanos. O período em que Shakespeare escreveu as suas grandes tragédias iniciou-se com Hamlet, escrita entre 1600-1602, a que se seguiram Othelo, Macbeth, King Lear, Anthony and Cleopatra e Coriolanus, todas elas compostas entre 1601 e 1608. Na última fase da carreira de Shakespeare situam-se as peças de tom mais ligeiro: Cymbeline, The Winter's Tale e The Thempest. Parte das obras de Shakespeare foram publicadas durante a vida do autor, por vezes em edições pirateadas, mas só em 1623 apareceu a edição "Fólio", compilada por John Heminges e Henry Condell, dois atores que tinham trabalhado com Shakespeare. No século XVIII as peças foram publicadas por Alexander Pope (em 1725 e 1728) e Samuel Johnson (em 1765), mas só com o Romantismo se compreendeu a profundidade e extensão do génio de Shakespeare. No século XX reforçou-se a tendência para considerar a obra de Shakespeare integrada nos contextos dramáticos que a suscitaram.

VER +

A beleza da escrita de Shakespeare é que, à medida que o tempo passa, as suas peças são renovadas com novos significados, abrindo possibilidades inteiramente novas de interpretação. Quando William Shakespeare escreveu "O mundo inteiro é um palco/ E todos os homens e mulheres não passam de meros atores.", na peça Como queiram, não poderia imaginar o quão bem se adequaria ao mundo digital em que vivemos, no qual qualquer um tem, a qualquer momento, um palco e um público à mera distância de um clique. Com o isolamento social a que a pandemia obrigou, as pessoas estão agora a utilizar as redes sociais como forma de ressuscitar as palavras de Shakespeare, partilhando leituras das suas peças com os seus seguidores, a partir do conforto das suas casas.


UM SONETO POR DIA

Tendo iniciado a sua carreira de ator na Royal Shakespeare Company, Sir Patrick Stewart está bem familiarizado com a obra do Bardo. Foi, aliás, a sua atuação na peça de Shakespeare, Antony and Cleopatra, que lhe valeu o seu primeiro Olivier, em 1979, sendo que o segundo foi pelo seu papel como Rei Cláudio, em Hamlet. Durante o atual período de quarentena, o ator - mais reconhecido pelo público geral pelos seus papéis em Star Trek ou X-Men -, tem procurado novas formas de se manter ocupado, recorrendo às redes sociais para partilhar o seu amor pela obra de Shakespeare. Desde dia 22 de março, Stewart tem declamado um soneto de Shakespeare por dia, partilhando os vídeos nas suas contas de Twitter e Instagram. Nalguns vídeos, o ator partilha mesmo algum contexto e comentários relativos aos textos que está a ler, fazendo-se acompanhar da sua edição da Folger Shakespeare Library dos sonetos de William Shakespeare.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Patrick Stewart (@sirpatstew) a

 

 

SHAKESPEARE PELO MUNDO

No passado dia 23 de abril, assinalou-se, para além do Dia Mundial do Livro, a morte de dois gigantes da literatura: Miguel de Cervantes e William Shakespeare. No caso de Shakespeare, esta data assinala não apenas a do 400º aniversário da sua morte, mas também o seu dia de nascimento, em 1564. Por essa razão, o Globe Theatre, conhecido por ser o teatro onde Shakespeare encenava as suas peças, decidiu comemorar o importante dia, desafiando atores de todo o mundo a representar os versos de três das suas obras mais icónicas: Como queiram, Hamlet e A Tempestade. A iniciativa contou com mais de 500 participações de atores de diferentes partes do mundo e faixas etárias e o resultado deste desafio pode ser visto no site do The Guardian, na página intitulada Shakespeare solos. Quem sabe o inspirem a dar voz a alguns destes discursos tão importantes para a História da Literatura, como o célebre "Ser ou não ser: eis a questão/ Se é mais nobre no espírito sofrer/ as fundas e flechas da fortuna ultrajante/ Ou brandir armas contra um mar de agravos,/ E, opondo-os, fazê-los cessar. Morrer - dormir/ Mais nada" (Hamlet, trad. António M. Feijó). 

 

 

#SHAKESPEARECHALLENGE

Para além do desafio lançado pelo Globe Theatre, e do lançado por Ian Doescher, que convidava todos os participantes a ler a obra completa de William Shakespeare em 2020, também a The Shakespeare Theater Company em Washington, iniciou o #ShakespeareChallenge, incitando todos os interessados a gravar um vídeo a ler um monólogo de Shakespeare à sua escolha, e a partilhá-lo nas redes sociais com esta hashtag. Num momento em que o futuro desta companhia de teatro é incerto, enfrentando a ameaça de ter de fechar portas, este desafio serve também como forma de consciencializar as pessoas para o importante papel do teatro na sociedade. Até ao momento, contam já com centenas de submissões de diversas partes do mundo, bem como atuações em quatro línguas diferentes, sendo possível assistir a estas na conta do Twitter da companhia.

 

X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.