Bertrand.pt - Gestão de Projectos

Gestão de Projectos

Abordagem instrumental ao planeamento, organização e controlo. Inclui cd-rom.

de Victor Sequeira Roldão 

Editor: Monitor
Edição ou reimpressão: setembro de 2007
27,56€
Esgotado ou não disponível.

Este livro pretende fornecer um conjunto de técnicas inerentes à gestão de projectos que sendo dominadas produzem várias vantagens de que se destacam:
- melhor relacionamento com o cliente;
- melhor controlo do projecto;
- orientação da tarefa para objectivos com mensuração de resultados;
- sinergias com contribuições multidisciplinares;
- envolvimento do gestor na decisão, com definição de prioridades e assunção de riscos;
- menor tempo de desenvolvimento do produto.
Assim, proporciona os conhecimentos essenciais a todos os que trabalham em gestão de projectos, nomeadamente, Gestores Seniores; Gestores de Projectos e outros membros da equipa de projecto; Clientes e outros stakeholders do projecto; Docentes da disciplina de gestão de projectos e temas relacionados; Consultores e especialistas na área de gestão de projectos e Formadores que desenvolvem acções de formação em gestão de projectos.

Excertos
. . . SECÇÃO I - Organização e Liderança
Em ambas as situações, "realizar um filme" ou "organizar um campeonato mundial", está envolvido o conceito de projecto mas, a dimensão, recursos e complexidade são bastante diferentes. É evidente que a segunda situação exige recursos mais numerosos, o planeamento execução e controlo é mais complexo e, a forma como se estrutura a equipe, se organiza o projecto e se estabelece o sistema de informação são diferentes. No entanto, quer se trate de um projecto autonomizado, quer de um projecto a concretizar no interior de uma organização já existente, a constituição da equipe e sua organização e a liderança do projecto são aspectos da maior relevância. Considera-se que os seguintes aspectos constituem o ponto de partida, que guiará todo o projecto:
- a constituição da equipe e selecção do pessoal; - a definição da forma de organização; - o sistema de informação; - a liderança do projecto e a afectação de responsabilidades;
Capítulo 2 - O Gestor de Projecto - São descritas as funções do gestor de projecto que, em termos de ciclo dinâmico da gestão do projecto é o principal agente do planeamento, execução e controlo, e que frequentemente se comporta como um empresário a quem cabe, em estreita ligação com os stakeholders definir: objectivos do projecto, interacção do projecto com a empresa, forma de organização do projecto, tipo de recursos a utilizar, metodologia do trabalho e tipo de informação de que necessita. É ainda abordado o papel do gestor de projecto na gestão de conflitos que absorve uma parte substancial do seu tempo e energia.
Capítulo 3 - Estrutura Organizacional - É estudada a forma de organização a utilizar e a maneira como vai encaixar-se na estrutura da empresa, de forma a encontrar mecanismos eficientes de coordenação, integração e de fluxo de informação que permitam reduzir a incerteza na tomada de decisão. É dada uma atenção particular à estrutura matricial.
Capítulo 4 - Organização da Equipa do Projecto - A autoridade do gestor de projecto advém em alto grau da sua competência e capacidade de influenciar. Em termos de inserção na organização, deve estar suportado na gestão de topo e ter capacidade de negociar com os gestores funcionais. Uma das suas tarefas mais importantes é seleccionar e admitir o pessoal da equipe de projecto, bem como a definição de regras que regulem a equipe de forma a que exista uma compreensão comum dos objectivos gerais e particulares que orientam o projecto. É dada maior atenção à gestão do tempo.
Capítulo 5 - Estabelecimento do Sistema de Informação - O sistema de informação é essencial para um controlo efectivo do andamento do projecto versus os requisitos estabelecidos, implicando o seu desenvolvimento, a recolha e tratamento de informação adequada segundo as dimensões custo, tempo e qualidade. A arquitectura do sistema de informação depende da complexidade do projecto devendo antecipar e relatar desvios atempadamente de molde a que as correcções sejam possíveis de uma forma simples e imediata. São indicados, em particular, normas e procedimentos básicos, suportes de informação com enfoque específico nos suportes informáticos.
Capítulo 6 - Liderança em Gestão de Projectos - Quer na fase de concepção, quer na fase de implementação, existe a necessidade de tomar decisões permanentemente, em que se considera a liderança como o processo de redução da incerteza do grupo que permite à organização caminhar em direcção aos seus objectivos. São apresentados modelos de liderança, apontando-se como mais adequados os modelos contingenciais que equacionam a estrutura de orientação do indivíduo e o grau de controlo e influência que o líder tem sobre a situação para a realização da tarefa. São posicionadas as variáveis condicionantes do estilo a adoptar.
SECÇÃO II - Planeamento, Programação e Controlo
Na implementação de um projecto, após constituição da equipe e da sua organização, enquanto no plano externo se tratam questões de financiamento, no plano interno, há que ordenar recursos e tomar decisões. No projecto o ponto focal é o eficiente cumprimento de um objectivo em tempo, dentro de um orçamento, e cumprindo um dado desempenho. O binómio tempo-custo aparece interligado duma forma muito íntima e com interacções mútuas, o que obriga a tratá-los em conjunto, através de técnicas de planeamento (GANTT, PERT, …). A forma de estimativa dos custos bem como da sua forma de controlo e a ligação ao factor tempo são os pontos-chave desta matéria. Embora o gestor de projecto não deva ser um especialista em todas as áreas, ele deve manter alguma familiaridade com as tecnologias mais envolvidas no projecto de forma a poder ajuizar as situações e tomar decisões correctas, realizar um acompa-nhamento eficaz e analisar desvios emergentes.
Capítulo 7 - Estratégia da Empresa versus Estratégia do Projecto - Os objectivos estratégicos da empresa são o ponto de partida para todos os projectos seja qual for o tipo de projecto em causa, sendo a interface entre a empresa e o projecto constituída pelo plano estratégico do projecto. São abordadas técnicas para hierarquizar projectos e é detalhado o estabelecimento de objectivos do projecto em termos de produto e processo. Capítulo 8 - Planeamento e Work Breakdown Structure - A gestão de âmbito constitui um passo essencial no planeamento do projecto, através do qual se pretende assegurar que o projecto cumpre todo o trabalho requerido, e apenas esse, de forma a concretizá-lo com sucesso. O principal instrumento para a definição do âmbito é o Work Breakdown Structure (WBS) que constitui, de facto, uma partição do produto/serviço a ser entregue em termos de trabalho a ser realizado. É estabelecida a ligação do WBS ao planeamento, aos recursos e aos custos.
Capítulo 9 - Planeamento Utilizando PERT - É realizado o planeamento utilizando a construção de redes com base na seguinte sequência: listagem de activi-dades; construção da rede; determinação do caminho crítico; optimização utilizando a disponibilização de recursos. São apontados os principais problemas com que se confronta a utilização das técnicas PERT/CPM.
Capítulo 10 - Planeamento e Alocação de Recursos - Após realizado o Work Breakdown Structure e com o planeamento do trabalho efectuado é definida a organização dos recursos, sendo estabelecida a matriz entre WBS e OBS (Organisation Breakdown Structure).
Capítulo 11 - Orçamento e Custos do Projecto - A sobrevivência de uma organização depende frequentemente da sua capacidade de estimar custos e, no caso de tratar-se de uma organização de projecto envolvendo concepção, o grau de incerteza e risco é ainda maior. Com efeito, uma organização não pode sobreviver se estimar custos que originam perda, mas por outro lado se a estrutura de custos for muito elevada não ganha os contratos. São apresentados os principais tipos de custo envolvidos no projecto e as principais técnicas e métodos de estimativa. O capítulo é encerrado estabelecendo a ligação entre planeamento, tempo, recursos e custo.
Capítulo 12 - Acompanhamento e Controlo do Projecto - Um bom controlo da gestão deve ser flexível perante as mudanças inesperadas, estar atento ao custo da operação, perspectivar falhas potenciais e indicar acções correctivas. As alterações ao projecto são inevitáveis, mas alterações drásticas podem matar o projecto. O processo de controlo é essencialmente conduzido utilizando: a gestão do âmbito, a gestão do tempo - PERT/CPM e a gestão do custo através do Earned Value Management (EVM). É dado um maior desenvolvimento ao Earned Value Management.
SECÇÃO III - Contratação, Negociação e Risco
É através da contratação ( de preferência com negociação) que é regulamentada a ligação formal entre as partes. Neste aspecto merecem um maior enfoque os dife-rentes tipos de contratos, bem como a estrutura de um contrato e as principais cláu-sulas contratuais. A negociação em gestão de projectos é um procedimento com troca de conceitos verbais, no sentido de fazer o encontro de opiniões no que concerne as várias questões em jogo, nomeadamente tecnologia, prazo de entrega e preço. Tem particular importância a preparação da negociação e o processo de negociação de forma a encontrar acordos que tragam vantagens. O equacionamento do risco é da maior importância sendo susceptível de ligação à contratação e negociação.
Capítulo 13 - Contratação - do Concurso ao Contrato - A preparação e lançamento de concursos é uma tarefa muito importante em Gestão de Projectos, que deve permitir, quando bem executado, obter os bens e serviços necessários à concretização do projecto, aos preços mais baixos, em conformidade com as especificações técnicas e entregue ou executada nos prazos, de maneira a permitir cumprir o planeamento geral do projecto. É abordada a preparação e lançamento de concursos, a comparação de propostas e selecção de fornecedores. São descritas diferentes modalidades de contratos e identificadas as principais clausulas contratuais.
Capítulo 14 - Qualidade - Após posicionar o moderno conceito de qualidade são definidos os objectivos da gestão da qualidade do projecto de forma a assegurar que o projecto satisfaz as necessidades que lhe deram origem. A qualidade deve ser uma preocupação exercida durante todos os passos do projecto, considerando-se três processos principais: Planeamento da Qualidade, Garantia da Qualidade e Controlo da Qualidade. São identificados os principais custos e tradeoffs envolvidos na qualidade e são desenvolvidas as principais ferramentas utilizadas na resolução de problemas da qualidade. Capítulo 15 - Gestão de Projectos e Risco - Gestão do risco é considerada como a atenção dirigida à ocorrência de eventos futuros, cujo exacto resultado é desconhecido, e com a forma como lidar com essa incerteza. Inclui o planeamento, identificação e análise de áreas de risco e o desenvolvimento de opções para lidar e controlar o risco. São desenvolvidas metodologias de abordagem ao risco, análise de riscos, determinação de impactos e estabelecimento de planos de resposta.
Capítulo 16 - Negociação - O papel da negociação é reforçar a aproximação das forças confluentes e diminuir a importância das forças divergentes. É o grau de convergência entre as posições em jogo bem como a sua evolução no tempo, que vão diferenciar um processo de negociação cooperativa de um processo de negociação conflitual. São descritas tácticas de negociação e é apresentado um modelo de comportamentos de negociação.
SECÇÃO IV - Conclusão e Avaliação de Desempenho
É abordada a conclusão do projecto e é realizado e avaliado o desempenho, como forma de retirar consequências para os intervenientes, realizar o registo histórico e aprender.
Capítulo 17 - Conclusão do Projecto e Avaliação de Desempenho - A conclusão do projecto deve ser planeada com todo o cuidado pois o seu encerramento súbito e desordenado pode causar grandes problemas, não só no imediato mas também no longo prazo. Nesta fase interessa considerar fundamentalmente aspectos humanos e organizacionais, aspectos técnicos e aspectos orçamentais e financeiros. Se se trata da conclusão de um projecto a que se segue o arranque de uma actividade interessa cuidar dos aspectos de interface. O encerramento do projecto deve estabelecer a avaliação de desempenho no que concerne ao Produto - resultado final do projecto e ao Projecto - processo que conduz a esse resultado final. . . .

Outros livros da coleção

Gestão de Projectos
Abordagem instrumental ao planeamento, organização e controlo. Inclui cd-rom.
ISBN: 9789729413629 Ano de edição ou reimpressão: 09-2007 Editor: Monitor Idioma: Português Dimensões: 174 x 232 x 20 mm Encadernação: Capa mole Páginas: 360 Tipo de Produto: Livro Coleção: Investimentos e Organização Classificação Temática: Livros  >  Livros em Português  >  Gestão  >  Gestão e Organização

Quem comprou também comprou

Cooking Sales
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
14,05€
Edições Almedina
Stock Options
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
23,32€
Publisher Team
X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.