Ferreira Gullar

Ferreira Gullar

Biografia

Poeta e homem de letras brasileiro, Ferreira Gullar nasceu com o nome de José Ribamar Ferreira a 10 de Setembro de 1930 na cidade de São Luís, a capital do estado do Maranhão, e morreu a 4 de dezembro de 2016, no Rio de Janeiro. Filho de um comerciante e irmão de dez outras crianças, iniciou os seus estudos aos sete anos de idade no Jardim Decroli. A partir dos nove passou a receber educação formal através de professores particulares e, mais tarde, foi inserido num colégio, de onde fugiu eventualmente.
Na tentativa de mitigar o problema disciplinar da criança, os pais tomaram a decisão de a matricular, em 1941, no Colégio de São Luís de Gonzaga. Remediando o seu comportamento, manteve-se um aluno recomendável durante algum tempo. Não obstante o facto de ter sido admitido depois no Ateneu Comercial Teixeira Mendes com honras e louvores, tornou a dispersar-se, reprovando um ano. Transferiram-no então para a Escola Técnica de São Luís, instituição de ensino menos exigente e mais liberal.
Foi salvo pela descoberta da poesia: apaixonando-se com apenas treze anos de idade por uma vizinha, renunciou ao companheirismo das brincadeiras de criança para se encafuar nas bibliotecas públicas, em busca de inspiração para a feitura dos seus versos de amor. Passou em consequência a obter resultados excepcionais na disciplina de Português, graças sobretudo ao seu talento para as composições.
Terminou o ensino secundário em 1948, ano em que não só publicou o seu primeiro poema num jornal local, como começou também a trabalhar, quer como locutor radiofónico quer como colaborador num outro órgão da comunicação social. No ano seguinte publicou o seu primeiro livro, uma colectânea de poemas intitulada Um Pouco Acima do Chão (1949).
Em 1950 foi testemunha de um acontecimento trágico. Durante um comício de um candidato contra o regime de ditadura, assistiu ao assassinato de um operário durante uma carga policial. Recusando-se a ler a notícia ao microfone da rádio estatal em que trabalhava, foi despedido, mas logo convidado a juntar-se à digressão eleitoral do político em questão. Ainda em meados do mesmo ano, saiu vencedor de um concurso literário de relevo.
Sabendo-se persona non grata pelas autoridades do Maranhão, decidiu mudar-se para o Rio de Janeiro em 1951. Passou a colaborar com diversas publicações, não só como redactor, mas também na qualidade de revisor. Contraindo depois o bacilo da tuberculose, foi obrigado a um período de convalescença de cerca de três meses.
Em 1954 publicou uma das suas obras mais conhecidas, a compilação de poemas Luta Corporal e, em 1959, deu um passo importante ao surgir com o Manifesto Neo-Concreto, no qual procurava qualificar a sua própria poesia. Juntando-se a alguns artistas plásticos, chegou a apresentar instalações interactivas, combinando a palavra com a pintura e a escultura.
Em 1961 foi nomeado director da Fundação Cultural de Brasília e, no âmbito das suas funções, iniciou a construção do Museu de Arte Popular. No ano seguinte publicou João Boa-Morte, Cabra Marcado Para Morrer (1962) e Quem Matou Aparecida (1962).
Tomando contacto com o movimento estudantil brasileiro, foi gradualmente radicalizando as suas opiniões políticas até que, em 1964, se afiliou no Partido Comunista. Preso pelos esbirros da ditadura em 1968, juntamente com Gilberto Gil e Caetano Veloso, partiu para o exílio em 1971, primeiro rumo à ex-União Soviética, logo para Santiago do Chile, Lima e Buenos Aires. Regressando ao Brasil apenas em meados de 1977, foi preso novamente. Liberto após muitas e demoradas diligências tomadas por parte dos seus amigos, Ferreira Gullar pôde retomar as suas actividades poéticas e jornalísticas.
Após o aparecimento das obras compostas no exílio e, muitas delas impressas no estrangeiro, como Dentro da Noite Veloz (1975) e Poema Sujo (1976), o autor publicou Na Vertigem do Dia (1980), Barulhos (1987), O Formigueiro (1991) e Muitas Vozes (1999), entra outras de diversos géneros.
Em 1992 foi nomeado director do Instituto Brasileiro de Arte e Cultura, cargo que ocupou até 1995. A sua vida e a sua obra foram muitas vezes agraciadas, tendo sido homenageado com vários prémios literários internacionais, com particular destaque para o Prémio Príncipe Claus da Holanda e para o Prémio Camões, em 2010.
Ferreira Gullar. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2010.

Prémios

2010 - Prémio Camões
partilhar
Zoologia Bizarra
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
14,90€
Editorial Caminho
Crônicas Para Jovens
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
25,44€
Global
Cidades Inventadas
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
14,00€
Ulisseia
Rabo de Foguete - Os Anos de Exílio
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
19,50€
Verbo
Em Alguma Parte Alguma
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
18,00€
Ulisseia
Poema Sujo
14,00€
Ulisseia
História Natural De Pablo Neruda
Um Gato Chamado Gatinho
7,42€
Quasi Edições
Acontece na Cidade
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
21,20€
Ática
Melhores Poemas de Ferreira Gullar
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
9,52€
Diversos
Melhores Crônicas de Ferreira Gullar
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
22,26€
Global
Ferreira Gullar - Obra Poética
26,50€
Quasi Edições
Antologia Poética
10,58€
Editora Summus
Murmullos
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
13,19€
BASSARAI
Poema Sucio
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
13,32€
VISOR
Dirty Poem
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
9,66€
NEW DIRECTIONS PUBLISHING CORPORATION
Dirty Poem
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
60,36€
Poupe 6,04€
University Press of America
Poeme Sale
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
11,66€
LE TEMPS DES CERISES
Poeme Sale
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
13,99€
TEMPS DES CERISES
X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.