Bertrand.pt - O Ouro dos Templários

O Ouro dos Templários

Em busca da arca da aliança

de Patrick Byrne 

Editor: Editorial Estampa
Edição ou reimpressão: abril de 2007
7,00€
Esgotado ou não disponível.

A localização da Arca da Aliança é um mistério com milhares de anos. O Ouro dos Templários narra a investigação de um segredo no Sul de França. À medida que a investigação avança, torna-se cada vez mais claro que a Maçonaria está envolvida no mistério e que encobre uma grande conspiração. As pistas seguidas pelo autor incluem a importância do ângulo de 33.º, um mapa de Jerusalém do século XIX, códigos ocultos no seio do ritual dos Companheiros do Real Arco, as jóias dos Grandes Oficiais e do grão-mestre da loja e o fascínio que os compiladores dos rituais maçónicos têm pelo número 3, sem esquecer o símbolo sagrado yôdh do tecto do Grande Templo na Grande Loja de Inglaterra.
Estarão os Cavaleiros da Ordem do Templo e os membros da Maçonaria relacionados entre si?
Continuarão a existir hoje?
Se eram eles os guardiães da Arca da Aliança, onde se encontra ela actualmente?
Estarão estas personagens, para além de guardar a Arca, a tentar alcançar algo mais?
O Ouro dos Templários apresenta uma teoria lógica e plausível que traz luz sobre o tema apaixonante que tem sido a Arca da Aliança ao longo dos séculos.

Excertos

Prefácio

Ao longo de dez anos e à semelhança de muitas outras pessoas, desde que li o livro de Baigent, Leigh e Lincoln Holy Blood, Holy Grail, senti curiosidade pela zona de Rennes-le-Château. Mas foi só depois de ter lido The Tomb of God, de Andrews e Schellenberger, que percebi que poderia existir uma ligação entre a Maçonaria e uma montanha na encosta nordeste dos Pirinéus, na região do Roussillon, no Sul de França. A primeira ideia que me ocorreu, foi que talvez a solução para o mistério de Rennes-le-Château e para o «segredo há muito perdido». que todos os maçons são incentivados a desvendar, se encontrasse no ritual maçónico. Este enigma, em particular, apoderou-se literalmente da imaginação de milhões de pessoas. Os manuscritos que sugerem uma solução foram supostamente encontrados numa «coluna oca», o que acrescenta uma estranha «dimensão» maçónica ao mistério.
As primeiras descobertas que fiz confirmaram rapidamente que a localização de Pech Cardou está codificada no ritual maçónico e a minha primeira reacção foi a de ter tropeçado num segredo maçónico de estatuto superior ao daqueles de que tenho conhecimento. As inquirições que efectuei nesta área não tardaram a apaziguar o temor que sentia e a curiosidade natural fez o resto, condunzindo-me a uma solução para o enigma no decorrer dos dois anos seguintes. À medida que a minha pesquisa progredia e mais companheiros maçons se apercebiam do ponto para onde se dirigiam as descobertas que fazia, mais de uma vez me perguntaram: «Por que razão está a fazer isto?» Sou um maçon de «escalão médio» e esta pergunta provocou-me mais do que uma pequena reflexão; assim sendo, dediquei algumas páginas deste prefácio à explicação do motivo que me levou a publicar o que descobri.
(...)
De um modo geral, a Maçonaria está a passar por um período difícil. No Reino Unido, é normal estar submetida a leis preconceituosas em situações que não se aplicam a organizações similares. O número de associados nos Estados Unidos está igualmente a decair. Ninguém sabe realmente se estes problemas são transitórios ou se são premonitórios de uma mudança mais profunda da Maçonaria. Esta investigação demonstrará que a raison d'être da Maçonaria esteve sujeita a diluições contínuas e, se fizermos isso a qualquer organização, os membros associados poderão acabar por questionar-se sobre os motivos que levaram à sua adesão.
O outro problema da Maçonaria, o desconforto público sobre o facto de se tratar de uma sociedade secreta, com toda a probabilidade e em grande parte, fica a dever-se ao absoluto secretismo dos anos de guerra. Mais recentemente, o venerável corpo regente da Maçonaria inglesa, a Grande Loja Unida de Inglaterra, desenvolveu esforços consideráveis para proporcionar à Maçonaria uma maior abertura. De facto, o segundo membro mais antigo da Maçonaria inglesa, Lord Farnham, o Pró-Grão-mestre (e o «Pró» não é uma abreviatura), declarou recentemente que os únicos segredos da Maçonaria são as senhas e símbolos atribuídos para a identificação do estatuto pessoal como maçon. O problema é que esta abertura afasta o atractivo da adesão à Maçonaria, o estímulo à auto-estima pelo facto de partilhar um segredo que os outros desconhecem.
(...)
Bastará aceder às páginas da Internet que se referem à Maçonaria para verificarmos que, principalmente na América, os debates sobre a Maçonaria estão em progressão e é de notar que muitas Grandes Lojas criaram os seus próprios sites na Internet. Na Maçonaria inglesa, as duas lojas líderes no campo da pesquisa foram mantidas a par das minhas descobertas e há algum tempo que tinham conhecimento do meu interesse na publicação deste trabalho.
(...)
Para concluir, só posso dizer que nada do que descobri alterou o meu respeito pelo bom trabalho desenvolvido pela Maçonaria e pelo prazer que proporciona a tantas pessoas. Falando em nome pessoal, e como o leitor irá descobrir, considero perfeitamente satisfatório verificar que é na cavalaria, e não na construção, que a nossa herança tem as suas raízes.
Como já expliquei, este livro relata uma investigação que começou pela averiguação de um segredo no Sul de França. O facto de rapidamente ter sido notório que o mistério envolvia a Maçonaria e de ter progredido para a revelação de uma conspiração é particularmente intrigante. Parece que, em França, certas pessoas foram preparadas para garantir que o simbolismo dos Cavaleiros do Templo seria preservado através da disposição de determinados edifícios públicos, especialmente na cidade de Paris. Não parece existir qualquer malevolência por detrás destas acções; apenas o desejo de dizerem «nós fizemos isto». Um empreendimento desta magnitude deve apontar para algum objectivo ou anseio futuro, de descoberta difícil, para o qual aponta cada gesto. Trata-se de pessoas que parecem não possuir qualquer ambição de poder, simples obreiros de bastidores e «instituidores de reis», que parecem contentar-se com o conhecimento de o mundo se deslocar na direcção que eles pretendem.

O Ouro dos Templários
Em busca da arca da aliança
ISBN: 9789723323627 Ano de edição ou reimpressão: Editor: Editorial Estampa Idioma: Português Dimensões: 143 x 209 x 21 mm Encadernação: Capa mole Páginas: 432 Tipo de Produto: Livro Coleção: Hermética Classificação Temática: Livros  >  Livros em Português  >  Desenvolvimento Pessoal e Espiritual  >  Esoterismo
Livros  >  Livros em Português  >  Desenvolvimento Pessoal e Espiritual  >  Ocultismo

Sugestões

O Monge Que Vendeu o Seu Ferrari
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
15,00€
Pergaminho
Mulheres que Correm com os Lobos
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
23,90€
Marcador
X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.