Bertrand.pt - Quem Traiu Cristo?

Quem Traiu Cristo?

Como os Papas traíram os princípios de Cristo

de René Chandelle 

Editor: Editorial Estampa
Edição ou reimpressão: abril de 2007
7,00€
Esgotado ou não disponível.

Os escândalos económicos, sociais, políticos e sexuais dos senhores do vaticano.

Esta é a crónica de uma traição: a traição que os dirigentes da Igreja católica cometeram contra os próprios princípios, valores e normas que regem esta instituição. Durante dois mil anos, os papas parecem ter pregado uma mensagem muito diferente do modo como actuam, tanto na vida pública como privada. Quem Traiu Cristo? desvenda-nos o Vaticano como um ninho de lutas, vícios e corrupção, revelando-nos os inúmeros casos de assassinatos, simonia, despotismo, libertinagem e outros escândalos económicos, políticos e sociais que têm vindo a abundar na história desta cidade-estado. Nem o amor ao próximo nem a glória de Deus tiveram tanta influência nesta crónica macabra como o desejo de poder e luxo a que aspiraram os seus protagonistas. Esta é a história de como os papas se transformaram em traidores a Cristo.

Excertos

O Antipapa

A Igreja católica tem enfrentado, ao longo da sua história, muitas rebeliões papais, coexistindo em simultâneo dois pontíficies, um reconhecido como papa e o outro considerado antipapa. Por exemplo, parte dos anos em que Símaco ocupou o trono «oficial», Lourenço fazia-o enquanto antipapa. O mesmo sucedia com João XXII e Nicolau V. Além disso, nalgumas ocasiões chegaram a coexistir o papa oficial e vários antipapas. Alexandre III (que reinou entre 1159-1164), Pascoal III (1164-1168), Calisto III (1168-1178) e Inocêncio III (1179-1180). Noutros casos, o aparecimento de antipapas ocorreu em períodos de turbulência eclesiástica, como foi o caso do Grande Cisma do Ocidente, relacionado com a transferência da corte papal de Roma para Avinhão, entre o final do século XIV e princípios do século XV.
O primeiro antipapa foi Hipólito, no século III, que se opôs ao papa Calisto I, a quem criticou duramente quando este suavizou as normas penitenciais sobre os pecados especialmente graves. Hipólito separou-se da Igreja e foi eleito bispo de Roma por um reduzido número de partidários seus. Por outro lado, há que dizer que o último antipapa foi Félix V, no século XV, que criou o estado de Sabóia. Mas... o que se entende exactamente por «antipapa»?
A Igreja considera como tais aqueles que reclamaram o título papal de forma não canónica, geralmente em oposição a um determinado papa ou durante algum período em que a cadeira estava vazia. O título de antipapa não é, necessariamente, um sinal de doutrina contraposta à fé ensinada pela Igreja, mas apenas uma pretensão - seja ela usurpada ou duvidosa - da legitimidade canónica da sua eleição e investidura como sumo pontífice da Igreja católica. Por essa razão, para a Igreja, estes antipapas não figuram na lista dos 263 papas que reinaram desde Pedro até Bento XVI.

Quem Traiu Cristo?
Como os Papas traíram os princípios de Cristo
ISBN: 9789723323634 Ano de edição ou reimpressão: Editor: Editorial Estampa Idioma: Português Dimensões: 140 x 203 x 8 mm Encadernação: Capa mole Páginas: 160 Tipo de Produto: Livro Coleção: Hermética Classificação Temática: Livros  >  Livros em Português  >  Desenvolvimento Pessoal e Espiritual  >  Esoterismo
Livros  >  Livros em Português  >  Desenvolvimento Pessoal e Espiritual  >  Espiritualidades

Sugestões

O Monge Que Vendeu o Seu Ferrari
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
15,50€
Pergaminho
Óleos Essenciais
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
15,50€
Pergaminho
X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.