Bertrand.pt - Platónov

Platónov

Peça em quatro actos

de Antón Tchékhov 

Editor: Campo das Letras
Edição ou reimpressão: julho de 2008
13,78€
Esgotado ou não disponível

ANNA PETROVNA: Quem é, que espécie de homem, em vossa opinião, é esse Platónov? É um herói ou não?

GLAGÓLIEV 1: Como lhe hei-de dizer? Acho que Platónov é o melhor exemplo da moderna indefinição… É o herói do melhor romance moderno, infelizmente ainda por escrever…
(Ri-se.) Por indefinição subentendo o estado actual da nossa sociedade: o literato russo sente essa indefinição. Está num beco sem saída, desorientado, não sabe a que se há-de agarrar, não compreende… É difícil compreender todos esses senhores! (Aponta para VOINÍTSEV.) Os romances são péssimos, artificiais e triviais até mais não… e não admira! Está tudo extremamente misturado, confuso… E eu acho que o nosso inteligente Platónov é um exemplo expressivo dessa indefinição. Ele está de boa saúde?

«Demasiado longa, demasiado violenta, demasiado imperfeita. "Platónov" conviveu sempre de perto com o excesso e o falhanço. Peça inaugural de Anton Tchékhov, escrita com a urgência de tudo dizer e tudo questionar, sucessivamente trabalhada e sucessivamente rejeitada, acabaria por ser resgatada da sombra ao longo do séc. XX. Isto porque talvez se possa dizer de "Platónov", a obra, aquilo que alguém diz nela de Platónov, a personagem: "É o exemplo acabado da moderna indefinição". Retrato em fuga de um grupo de trintões e quarentões desiludidos com uma sociedade que frustrou os sonhos da sua juventude? Celebração vital dos prazeres da culpa e da contradição? Ouçamos o nosso herói, num acesso de ironia e lucidez: "Ser jovem e ao mesmo tempo não ser idealista. Que depravação!". Nuno Cardoso propõe-nos uma leitura possível de um conflito irresolúvel (foi também esse um dos propósitos que o conduziram a "Woyzeck", outro clássico mutilado), acrescentando à sua já extensa galeria de 'beautiful losers' o corpo vacilante de um professor de província, um Hamlet com testosterona a mais, que assiste embriagado ao desconcerto do mundo…»
Teatro Nacional São João

O título desta peça, nunca representada nem editada em vida do autor, não lhe foi dado por Tchékhov. O texto da peça, editado pela primeira vez em 1923, aparece simplesmente indicado como "Peça Inédita de A.P. Tchékhov", porque no manuscrito do autor faltava a página de título. No entanto, surgiram várias referências ao título "¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿" ("Bezotsóvschina", isto é, "Órfão de Pai"). Mas em todas as edições posteriores e em todas as montagens da peça, o título que surge é o nome da personagem principal: Platónov.
(Nota do tradutor)

Platónov
Peça em quatro actos
ISBN: 9789896253158 Ano de edição ou reimpressão: Editor: Campo das Letras Idioma: Português Dimensões: 125 x 195 x 10 mm Páginas: 232 Tipo de Produto: Livro Coleção: Campo do Teatro Classificação Temática: Livros  >  Livros em Português  >  Arte  >  Artes de Palco
Livros  >  Livros em Português  >  Literatura  >  Teatro (Obra)

Sugestões

O Colar
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
13,50€
Porto Editora
Falar Verdade a Mentir
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
5,50€
Porto Editora
X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.