Bertrand.pt - Guerra e Paz

Guerra e Paz

A Ordem de Santiago em Portugal

 

Editor: Edições Colibri
Edição ou reimpressão: outubro de 2015
Portes
Grátis
10%
20,00€
Poupe 2,00€ (10%) Cartão Leitor Bertrand
Em stock - Envio 24H
portes grátis

No ano 1099, após uma mobilização sem precedentes, o mundo cristão Ocidental protagonizava a conquista de Jerusalém. Pouco tempo depois da primeira cruzada, em 1120, nascia a Ordem do Templo, a primeira a conjugar a vocação e as capacidades da cavalaria com as virtudes e os preceitos monásticos, uma fórmula inovadora, definida e exaltada por S. Bernardo de Claraval. A partir de então, este é o modelo adoptado pelas Ordens Militares que se criam no Oriente latino e no Ocidente, sujeitas a uma regra de vida comum e reconhecidas por Roma como o legítimo braço armado para a defesa da Igreja e da Cristandade.
Quase todas seguiam a regra cisterciense mas a Ordem de Santiago era uma das excepções, pois o ideário da sua normativa fundava-se nos princípios agostinhos. Ela configurava bem os preceitos doutrinais e militares inspirados pelo movimento de cruzada e transpostos para o contexto peninsular, então em pleno processo de expansão territorial dos seus reinos cristãos. Originária do reino de Leão, a Ordem vai alargar a sua intervenção a Castela e Aragão, recebendo amplas doações dos monarcas desses reinos.
A formação de Portugal, enquanto espaço definido por uma fronteira e liderado por um monarca, contou com o envolvimento activo de várias Ordens religioso-militares - a do Templo, a do Hospital ou de S. João de Jerusalém, a dos freires de Évora (mais tarde designada de Avis) e a de Santiago - que, ao serviço do rei e integradas nas suas hostes, eram a melhor expressão do profissionalismo militar de uma cavalaria motivada, bem treinada e bem equipada. Temida pelo adversário, era factor de confiança para os contingentes de peões, maioritários nos exércitos de então, e para uma população de cristãos e de muçulmanos (os que aceitaram permanecer sob a protecção régia portuguesa), em permanente instabilidade nos territórios de fronteira, que viam nas forças militares do reino e nos miles christi uma esperança de sobrevivência e de paz. A eficácia em campo de batalha e a imagem cruzadística da época criaram em torno das Ordens Militares uma auréola mística em que se mesclavam os princípios religiosos da cristandade Ocidental e a legitimidade de uma expansão territorial com contornos particulares na península Ibérica.
Em Portugal desde 1172, a Ordem de Santiago logrou também obter múltiplos favores régios pelo seu desempenho nas conquistas a Sul do Tejo, tornando-se talvez a mais poderosa Ordem Militar das centúrias de duzentos e trezentos em Portugal.

[Isabel Cristina Ferreira Fernandes, Comissária científica da exposição].

Guerra e Paz
A Ordem de Santiago em Portugal
ISBN: 9789896895334 Ano de edição ou reimpressão: Editor: Edições Colibri Idioma: Português Dimensões: 227 x 227 x 14 mm Tipo de Produto: Livro Classificação Temática: Livros  >  Livros em Português  >  História  >  História da Idade Média

Sugestões

Poderes Invisíveis
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
17,70€
Temas e Debates
Os Vikings em Portugal e na Galiza
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
19,90€
Zéfiro
X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.