Rosa Regàs

Rosa Regàs

Biografia

Rosa Regàs (nascida em 1933, em Barcelona) é uma escritora e romancista catalã. É destinatária do Prémio Planeta de Novela e do Prémio Nadal.
Nasceu durante a Guerra Civil Espanhola, foi exilada em França, até aos 6 anos de idade. Foi educada num internato religioso em Barcelona. Posteriormente, formou-se em Filosofia na Universidade de Barcelona, onde conheceu poetas espanhóis como José Agustín Goytisolo, Jaime Gil de Biedma e Gabriel Ferraté.
A sua formação literária foi consolidada entre 1964 e 1970, durante o seu trabalho na lendária editora Seix Barral (agora parte do Grupo Planeta), com Carlos Barral. Em 1970, fundou a editora La Gaya Ciencia e começou a publicar trabalhos de autores pouco conhecidos na época, como Juan Benet, Álvaro Pombo, Maria Zambrano, Manuel Vázquez Montalbán e Javier Marías, entre muitos outros.
Após a morte de Franco, lançou a primeira coleção política da editora, intitulada Biblioteca de Divulgação Política, com a maioria dos seus autores ainda ocultos na época. Também fundou e dirigiu uma revista de pensamento, Cuadernos de la Gaya Ciência, e outra sobre arquitetura, Arquitecturas Bis, com a colaboração de profissionais da estatura de Oriol Bohigas, Óscar Tusquets [es] e Rafael Moneo.
Determinada a escrever, vendeu a sua editora em 1983 e começou a trabalhar como tradutora e editora em tempo parcial para diferentes organizações nas Nações Unidas em várias cidades diferentes ao redor do mundo, deixando mais tempo livre para se dedicar à literatura. Em 1987, aceitou uma proposta de Carlos Trías, que era diretor da coleção Ciudades da Ediciones Destino, de escrever "Ginebra", um divertido ensaio sobre a grave capital calvinista do lago Leman e seus habitantes peculiares.
Em 1991, publicou Memoria de Almator, o seu primeiro romance, que fala sobre uma mulher superprotegida pelo seu pai, marido e amante, e acaba assumindo o controle da sua própria vida. Em 1994, ganhou o Prémio Nadal pelo seu romance Azul, uma história sobre o amor e o oceano que abriu as portas ao público em geral para Regàs. Azul foi seguido por Viaje a la luz del Cham (1995), uma narrativa sobre o seu tempo na Síria, e Luna Lunera (1999), um romance autobiográfico ambientado em Barcelona durante os tempos do pós-guerra, pelo qual ganhou a Ciutat de Barcelona Prémio Narrativo.
Em 2001, Regàs ganhou a 50ª edição do Prémio Planeta com o seu romance de intrigas La Canción de Dorotea, que narra as descobertas de um professor de biologia molecular numa casa de campo que herdou do seu pai. Desde então, a autora publicou vários trabalhos, incluindo Diario de una abuela de verano, que foi transformado numa série de televisão com o mesmo título.
Desde o início dos anos 90, Regàs colabora regularmente em jornais e revistas através de artigos e também realiza um trabalho significativo como palestrante e ativista em movimentos de defesa e solidariedade de direitos humanos.
Além da sua atividade literária, Regàs também foi diretora do Ateneo Americano na Casa de América em Madrid (1994–1998) e diretora geral da Biblioteca Nacional Espanhola (2004–2007).
partilhar

bibliografia

A Canção de Dorotea
18,68€
Dom Quixote
X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.