José da Fonseca Lebre

José da Fonseca Lebre

Biografia

José da Fonseca Lebre nasceu em Viseu, em 21 de novembro de 1870, onde passou a sua infância e juventude.

Ingressou no Curso de Infantaria da Escola do Exército em 21 de outubro de 1896. Promovido a alferes em 3 de março de 1898, é colocado no Regimento de Infantaria 14, em Viseu.

Em 1905 inicia uma longa comissão na Guarda Fiscal, sendo sucessivamente comandante dos Postos de Miranda do Douro e de Melgaço e, em 1908, já com o posto de capitão, comanda a 3.ª Companhia da Guarda Fiscal sediada em Valença.

Em 1914, com o início da 1.ª Guerra Mundial, oferece-se para prestar serviço na Força Expedicionária nomeada para prestar serviço noSudoeste de Angola, comandada pelo tenente-coronel Alves Roçadas. Para integrar aquela força expedicionária foi mobilizado um Batalhão do Regimento de Infantaria 14 de Viseu, tendo sido entregue o comando da 10.ª Companhia desse Batalhão ao capitão José da Fonseca Lebre.

A Força Expedicionária chega a Moçâmedes, em 1 de outubro de 1914, tendo marchado inicialmente para o Lubango e depois para Sul. Os combates com as forças alemãs implicaram pesadas baixas nos militares portugueses, assim como grandes perdas de material. As condições do terreno, a severa seca que se verificava no Sul de Angola, a falta de água e as deficientes instalações implicaram um elevado número de militares doentes, tendo o número de baixas por doença no Batalhão de Infantaria 14 ultrapassado os 50% em junho de 1915. o capitão José da Fonseca Lebre foi um dos atingidos pelas febres palustres, tendo sido evacuado para o Lubango no início de 1915, regressando à Metrópole em junho desse ano.

Nunca mais a sua saúde se recomporia. Os anos que se seguiram foram de baixas constantes ao Hospital Militar, vindo a contrair tuberculose, doença que lhe viria a ser fatal.

Terminou a sua carreira militar como comandante da Casa de Reclusão Militar de Viseu com o posto de tenente-coronel.

Desde cedo José da Fonseca Lebre aderiu aos ideais da República, tendo, em várias ocasiões, sido chamado a demonstrar o seu apego a esses ideais.

Participou em intensa atividade de divulgação dos ideais republicanos na cidade de Viseu, desde 1899, quer na sua unidade, o Regimento de Infantaria 14, no Centro Liberal de Viseu e numa Conferência Republicana promovida pelo Dr. Bernardino Machado, em 1903; durante o consulado de João Franco, 1906 a 1908, e como comandante da Guarda Fiscal no Minho, recusou-se a participar em cerimónias oficiais em representação da sua unidade; aderiu ao Grande Oriente Lusitano em 1901, pertencendo à Loja Viriato, em Viseu, tendo assumido o nome simbólico de Garrett; em 1912, aquando das revoltas monárquicas lideradas por Paiva Couceiro, como comandante da Companhia da Guarda Fiscal do Minho, conteve com a sua unidade as forças revoltosas em Valença, tendo a sua ação merecido público louvor do Exército.

Casou com Palmira Adélia Martins Lebre em 1898, de quem teve seis filhos.

José da Fonseca Lebre foi um homem de cultura e uma inteligência acima da média o que lhe é reconhecido por todos os seus comandantes nas diversas informações que sobre ele foram produzindo. Demonstrou, para além da escrita, importantes dotes para o desenho e para a música. o livro Locuções e Modos de Dizer terá sido escrito nos últimos anos da sua vida.

Além de vários louvores, José da Fonseca Lebre foi agraciado com a medalha de prata de comportamento exemplar, com a medalha comemorativa das campanhas em África e era comendador da Ordem Militar de Avis.

José da Fonseca Lebre faleceu, em Lisboa, em 22 de outubro de 1923.

partilhar
Locuções e Modos de Dizer Usados na Província da Beira Alta
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
15,00€
Edições Esgotadas
X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.