SOMOS A HISTÓRIA DESDE SEMPRE

Convidámo-lo a fazer uma viagem no tempo, desde a atualidade até 1732, para conhecer a nossa história.

Somos Livros

A Livraria Bertrand é hoje uma marca do futuro, com uma equipa de 400 livreiros, em mais de 50 livrarias em todo o país. 

Cada livraria é pensada com o carinho e cuidado com que gostamos de acolher os nossos leitores. Criando espaços de encontro, cada loja tem uma personalidade própria, promovendo diferentes atividades – leituras, sessões de autógrafos, tertúlias, exposições, lançamentos, entre outros.

O fim é o princípio

Hoje, a rede da livraria mais antiga do mundo tem mais de 50 livrarias em todo o país e uma livraria online, que lhe permite escolher o tipo de serviço que, conforme a ocasião, mais lhe convém: 

 » Uma experiência de atendimento pessoal por um livreiro de uma das nossas livrarias de todo o país, sempre disponível para o aconselhar; 

 » A possibilidade de reservar os seus livros na livraria Bertrand online e deslocar-se a uma das nossas livrarias para verificar se é o que pretende e ali concretizar a compra; 

 » Uma experiência de self-service na livraria Bertrand online, onde pode comprar os seus livros e escolher onde os quer receber: numa morada à sua escolha ou numa das nossas livrarias de todo o país.

 

2011, Guinness World Records

Em 2011, o Guinness World Records reconheceu a Livraria Bertrand do Chiado como a mais antiga do mundo em funcionamento.

 

Mais uma página que se vira.

 

 

 

Anos 70

Nos princípios da década de 70 entraram novos autores para o catálogo da Livraria Bertrand: Augusto Abelaira, Fernanda Botelho, José-Augusto França, Irene Lisboa, Agustina Bessa-Luís, Vitorino Nemésio - que foi Presidente do Conselho de Administração da Bertrand entre 1965 e 1978 - e Urbano Tavares Rodrigues.

 

Nesta altura prosseguiu a publicação da Revista Lusitana, de que era diretor o Dr. Leite de Vasconcelos.

 

Anos 50, os opositores à ditadura

Nos anos 50, um dos autores mais emblemáticos da editora, Aquilino Ribeiro, lá tem o seu cantinho na livraria onde se encontra com outros autores mais novos, como Fernando Namora, Urbano Tavares Rodrigues e José Cardoso Pires, todos opositores a Salazar.

 

O Almanaque Bertrand, publicado pela primeira vez em 1899, mantém edição anual até 1969. Regressa 40 anos depois, em 2011.

A entrada no século XX

Nobre França e, mais tarde, José Bastos, assumem a gerência da livraria. Antes da implantação da República, seguem-se os franceses Aillaud.

 

É apenas em 1933 que se passa a designar de Livraria Bertrand S.A. como até aos dias de hoje, sob a gerência de Artur Brandão.

 

Juntam-se ao catálogo Alexandre Dumas, Almada Negreiros, Guerra Junqueiro, Aquilino Ribeiro e Raúl Brandão, entre outros.

 

Nos anos seguintes, começará a publicar-se a Ilustração e o Magazine Bertrand, no qual colaboraram inúmeros autores e ilustradores portugueses, incluindo Almada Negreiros.

Conferências do Casino

Com a morte do último Bertrand, José Fontana, livreiro da casa, assume o negócio. Foi fundador do partido operário socialista e organizou, em parceria com Antero de Quental, as célebres Conferências do Casino.

 

Em 1876, já com tuberculose e desiludido com a vida política, Fontana suicida-se nos armazéns da livraria, com um tiro de revólver na boca.

1870, ponto de encontro

Muda o século e a firma passa por várias pessoas da família. No início do séc. XIX, Alexandre Herculano, que já era autor da Bertrand, passava regularmente por estas salas, onde conheceu Oliveira Martins

 

A estes renomes da Geração de 1870 juntaram-se outros autores de vulto, como: Eça de Queiroz, Antero de Quental e Ramalho Ortigão, que por aqui se demoravam horas, falando de política e literatura, fazendo e desfazendo planos, conspirando até.

1791, a época das viúvas

Marie Bertrand assume a livraria depois da morte dos dois irmãos. Em 1812, com a sua morte, a firma passa a ser gerida pela nora (também ela viúva) e pelos seus netos.

 

Nesta época, a livraria passa a fazer parte do itinerário cultural da cidade: por lá passavam Bocage, Curvo Semedo e José Agostinho de Macedo, entre outros.

 

Mudava a face de Lisboa. Com a baixa da capital quase inteiramente reconstruída, aprontava-se o Teatro de São Carlos, prosseguiam as obras de construção da Basílica da Estrela e concluía-se o projeto do Palácio da Ajuda.

 

1750, a dinastia Bertrand

Já velho e cansado, Pedro Faure decide assegurar a sucessão na firma e chama para seu lado um jovem conterrâneo seu, a quem oferece a mão da filha, bem como parte da sociedade. Juntamente com Pierre Bertrand vem o seu irmão mais novo, Jean Joseph e a mulher, Maria Bertrand. Dá-se início à dinastia Bertrand, com a mudança de nome da firma para Pedro Faure e Irmãos Bertrand.

 

No terramoto de 1755 o prédio ruiu. A livraria voltou ao mesmo edifício em 1773, depois da sua reconstrução. 

 

 

 

1732, o início

Pedro Faure abre uma livraria em lisboa, conhecida como o “El Dorado” dos livreiros.

X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.