Bertrand.pt - Assalto à Escola de Guerra 1915-2015

Assalto à Escola de Guerra 1915-2015

 

Editor: Fronteira do Caos
Edição ou reimpressão: outubro de 2015
Portes
Grátis
10%
12,90€
Poupe 1,29€ (10%) Cartão Leitor Bertrand
Em stock
portes grátis

Poucos meses antes Portugal e a Europa tinham sido confrontados com o começo da maior guerra da humanidade, prevista por Morais Sarmento e por alguns poucos visionários em Portugal, mas uma surpresa para a generalidade dos europeus. No Governo de então não tardam a definir-se duas posições, que vão ocasionar uma profunda clivagem nacional até 1918. Freire de Andrade, o Ministro dos Negócios Estrangeiros, pensava que Portugal devia alinhar em tudo pela Grã-Bretanha e aceitar todos os pedidos que ela fizesse, mas lhe interessava manter a neutralidade, desde que isso fosse compatível com os desejos do Aliado. Pereira de Eça, o Ministro da Guerra, pensava que interessava a Portugal forçar a beligerância, mesmo que isso contrariasse os desejos do seu Aliado. Estavam definidas as duas posições de fundo, a grande clivagem nacional entre guerristas e antiguerristas.

Morais Sarmento alinha sem qualquer hesitação pelos antiguerristas, aplaudindo quando Portugal cede armamento aos Aliados, quando permite a passagem de tropas britânicas por Moçambique e quando envia expedições para defender Angola e Moçambique, tudo isto nos curtos meses finais de 1914. Ao mesmo tempo, Morais Sarmento apoia Freire de Andrade, quando este se recusa a forçar a beligerância, coisa que a Grã-Bretanha não quer e não pede.Neste livro é explicado o contexto e o desenvolvimento deste conflito, a forma como ele conduz ao primeiro grande abalo interno da 1ª República, com a formação do gabinete de Pimenta de Castro, em Janeiro de 1915, a convite do Presidente da República Manuel de Arriaga. Passados escassos meses surge a revolução de 14 de Maio de 1915, a mais sangrenta do século XX português, com mais de uma centena de mortos e seis centenas de feridos.

Será no seguimento desta, já derrubado Pimenta de Castro e depois da vitória dos revoltosos, que Lisboa é posta a saque. Os grupos de civis armados dominam as ruas da capital e, durante três dias (de 15 a 17 de Maio), praticam todo o tipo de abusos e crimes. Os representantes diplomáticos em Portugal ficam boquiabertos e assustados com esta explosão de violência, e, como temem pelos seus conterrâneos, pedem o envio urgente de uma força militar. Ela acabará por chegar sobre a forma de três esquadras (Espanhola, Francesa e Britânica) que entram no Tejo, não tendo vindo outras porque o contexto da guerra o não permitia. Nesses três dias são realizadas centenas de assaltos em Lisboa, a jornais, centros políticos, casas particulares e instituições.

Até a casa particular do general Morais Sarmento é ameaçada, cercada por civis armados, que chegam a apontar as armas a senhoras da família quando estas tentam sair para a rua.

Assalto à Escola de Guerra 1915-2015
ISBN: 9789898647481 Ano de edição ou reimpressão: 10-2015 Editor: Fronteira do Caos Idioma: Português Dimensões: 159 x 234 x 10 mm Encadernação: Capa mole Páginas: 182 Tipo de Produto: Livro Classificação Temática: Livros  >  Livros em Português  >  História  >  História Militar

Quem comprou também comprou

A Grande Guerra
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
14,76€
Fronteira do Caos
A Grande Guerra e a Construção do Mundo Moderno
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
14,75€
Fronteira do Caos
X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.