Bertrand.pt - Revista de Economia Solidária N.º 12

Revista de Economia Solidária N.º 12

A economia solidária e os comuns imateriais - O caso específico da moeda

 

idioma: Português, Espanhol, Inglês, Francês
Editor: ACEESA
Edição ou reimpressão: junho de 2018
Portes
Grátis
20%
10,50€
8,40€
Envio até 48 horas
portes grátis

O tema dos Comuns vem do passado, ressurgiu no passado recente e no presente e tornou-se um dos maiores desafios do futuro.

A Revista de Economia Solidária assumiu a importância e a actualidade desta reflexão e deste debate, pelas suas interacções com as propostas da Economia Solidária, dedicando-lhe, para já, dois números seguidos, o nº 11 anterior, onde procurou introduzir o tema e exemplificá-lo com referência a várias experiências de Comuns, em diversos contextos geográficos e culturais, e o actual, onde retoma esta análise e, em particular, a da questão da moeda, como uma hipótese de um novo Comum.

Pode, de facto, a Moeda ser o resultado de uma co-actividade, ou seja, de um agir comum, que a assuma como um novo Comum, subtraindo-a à apropriação privada, como uma Mercadoria, definida segundo as regras e os interesses em presença no Mercado, ou como um Bem Público, definido e regulado pelo Estado, com ou sem influência do Mercado?
Pode a Moeda ser antes definida, apropriada e gerida de um modo comunitário, como Moeda Comunitária e Social, complementar ou mesmo alternativa às moedas dominantes e dominadas pelos sistemas financeiros privados e públicos?

Num primeiro artigo, de autoria conjunta de Philippe Eynaud (professor do IAE - Institut d’Administration d’Entreprises da Université Panthéon Sorbonne - Paris 1 - France) e Adrien Laurent (doutorando na mesma instituição universitária), que permite um enquadramento geral deste tema, analisam-se, em particular, os pontos de contacto entre os Comuns e a Economia Solidária, a partir da recusa, na análise dos Comuns, de nos limitarmos às dicotomias tradicionais (Mercado versus Estado) e se, ao invés, "se estuda com atenção a capacidade dos colectivos de autores para se auto-organizarem à volta de recursos colectivos", do mesmo modo que os teóricos da Economia Solidária "vêem as organizações da sociedade civil como actores intermediários indispensáveis (fora do Estado e fora do mercado) para favorecer o desenvolvimento de uma economia plural cuja vocação é a democratização da Economia".

Este primeiro artigo foi também publicado no nº 345 da Revue Internationale de l’Économie Sociale, em 2017, mas é aqui republicado, para o dar a conhecer ao público da Economia Solidária e, pela sua importância, será também publicado, na sua versão em português, num próximo número desta Revista.

Outros livros da coleção

Revista de Economia Solidária N.º 10
20%
portes grátis
12,00€ 9,60€
ACEESA
Revista de Economia Solidária N.º 9
20%
portes grátis
12,00€ 9,60€
ACEESA
Revista de Economia Solidária N.º 12
A economia solidária e os comuns imateriais - O caso específico da moeda
ISBN: 0000019178165 Ano de edição ou reimpressão: 06-2018 Editor: ACEESA Idioma: Português, Espanhol, Inglês, Francês Dimensões: 168 x 243 x 12 mm Encadernação: Capa mole Páginas: 190 Tipo de Produto: Livro Coleção: Revista Economia Solidária Classificação Temática: Livros  >  Livros em Inglês  >  Ciências Sociais e Humanas  >  Sociologia
Livros  >  Livros em Espanhol  >  Psicologia e Sociologia
Livros  >  Livros em Francês  >  Ciências Soc. e Humanas  >  Sociologia
Livros  >  Livros em Português  >  Ciências Sociais e Humanas  >  Sociologia

Sugestões

Invisible Women
20%
portes grátis
11,86€ 9,49€
RANDOM HOUSE UK
X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.