Bertrand.pt - Portugal e a Construção Europeia

Portugal e a Construção Europeia

 

Editor: Edições Almedina
Portes
Grátis
10%
16,00€
Poupe 1,60€ (10%) Cartão Leitor Bertrand
Envio até 5 dias úteis
portes grátis

APRESENTAÇÃO

Reúnem-se no presente volume os textos actualizados das comunicações apresentadas no Colóquio "Portugal e a Construção Europeia", promovido pelas Faculdades de Letras e de Direito, pela Associação de Estudos Europeus, pelo Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (CEIS20) e pelo Instituto de História e Teoria das Ideias, todos da Universidade de Coimbra, que se realizou nesta Universidade nos dias 23 e 24 de Novembro de 2001. O conjunto das intervenções põe a claro a complexidade, a delicadeza e a profundidade do processo histórico que, desde meados do Século XX, envolve a Europa e vai aproximando os Estados e povos que a ela pertencem.
O propósito dos organizadores foi convocar personalidades com diferentes formações académicas, enriquecidas por experiências culturais e profissionais as mais diversificadas, muitas delas credenciadas por relevantes missões ao serviço do País (políticos, diplomatas, filósofos, historiadores, jurisconsultos, economistas ...) para deporem sobre as preocupações, anseios e projectos que animaram Portugal e os seus dirigentes a trilhar os caminhos de concertação e unidade que, na segunda metade do Século XX, foram tecendo ou cerzindo o retalho europeu.
Ao longo do Século o desafio foi sempre, a bem dizer, o mesmo: nos campos político, económico, cultural, social e militar, como conciliar a diversidade com a unidade da Europa? Como esconjurar os males de uma trágica herança divisionista que, na mesma geração, ensanguentou a Europa e o Mundo com fratricídios que acabaram por atingir todo o género humano? Como garantir a esta parte ou "partida" do Mundo, que Zeus raptou e amou, segundo o mito grego, e que serviu de berço à mais prodigiosa civilização, a posição que lhe cabe, em importância e mérito, no contexto da globalização política, económica, cultural, tecnológica e militar de hoje?
Os ensaios de resposta institucionais têm sido vários. Pretende-se uma Europa da Cultura e do Espírito, mas também se quer uma Europa do Mercado Comum, uma Europa da Defesa e Segurança Comuns, uma Europa Social, uma Europa do Ambiente... Certo já é que por todo este espaço jorra a liberdade de pensamento, de religião e de ciência, entrelaçada nos demais postulados da democracia; circulam sem entraves ideias, pessoas, mercadorias e capitais; luta-se empenhadamente por uma cada vez mais ampla e mais efectiva protecção dos direitos do Homem e pela concretização da igual dignidade de todos, sem distinção do sexo, da raça, da língua ou do credo religioso; elege-se periodicamente representantes para elaborar convenções e participar na definição das políticas de alcance europeu; promove-se regularmente reuniões de chefes de Estado e governantes para tratar dos assuntos europeus; julga-se em nome do Direito Europeu e da sua Justiça ...
O que seja ou deva ser a Europa, de hoje e de amanhã, tem sido objecto, ao longo dos tempos, de reflexões do mais alto interesse político e cultural, que vão, por exemplo, de Robert Schumann a Jean Monnet, de Winston Churchill a De Gaulle, de Nietzsche a Ortega y Gasset ou de Jacques Maritain a Edgar Morin. Mas o tema já deixou há muito de ser assunto apenas das camadas dirigentes europeias, para passar a interessar o "homem comum", o eleitor, o agricultor, o operário, o empresário, o emigrante, o sedentário. Por trás desta generalização e a dar-lhe sentido está o facto de a Europa ser sentida, ou pressentida, como um processo em curso, como um projecto inconcluso, como uma tarefa inacabada.
As comunicações e comentários reunidos neste volume dão testemunho da memória colectiva de europeus e portugueses e revelam laços nem sempre lembrados entre o desenvolvimento da construção europeia e a participação de Portugal nos desafios e sonhos dessa "Terra Nova" - que vem emergindo, de vagar e de modo vário, de um já considerável acervo de experiências vividas em comum pelos povos e cidadãos da Europa. A fragmentação política, económica e militar, que, nos inícios do Século XX, parecia conduzir os europeus em direcção oposta à unidade, cedeu, visivelmente, o passo à unidade plural europeia.
Decerto ainda são muitas as insuficiências de percepção da identidade comum e as contradições e obscuridades que afectam a institucionalização dessa "geografia de uma cultura", que, na expressão feliz de Maria Teresa Gouveia, a Europa é. Aqui fervilham valores, crenças, ideias, estruturas culturais, sociais, políticas e económicas, em contínua interacção, e de todas estas diferenças vai a Europa haurindo aquela sua unidade plural. Talvez não haja resposta para a questão de saber onde se encontra o centro dessa interacção a n dimensões - se na identidade cultural, se no processo de institucionalização política e económica. Para melhor percepção desta problemática parece útil, entretanto, distinguir os três conceitos que dão forma à ideia de Europa: um conceito cultural, que equaciona a questão da identidade europeia; uma conceito filosófico, que se prende com o espírito europeu; e um conceito político-social e económico, em torno do qual se articula o processo da construção europeia.
Foi longo o caminho da génese da ideia de Europa na Modernidade; complexo e sinuoso vem sendo o processo da sua construção institucional. No encontro de análises pluridisciplinares e de múltiplas perspectivas de reflexão e no diálogo racional e aberto que as tenha em conta ganhar-se-á, seguramente, altura para mais fielmente interpretar a herança da história e para moldar "com engenho e arte" as instituições do futuro.
Que o livro que agora entregamos ao leitor tenha o mérito de contribuir para avivar o interesse do povo português pela questão europeia e pela participação atenta e inteligente de Portugal na sua solução, eis o que para nós seria uma aliciante recompensa.

Dezembro de 2002

Os organizadores
MARIA MANUELA TAVARES RIBEIRO
ANTÓNIO MOREIRA BARBOSA DE MELO
MANUEL CARLOS LOPES PORTO

ÍNDICE

APRESENTAÇÃO

PARTE I
CULTURA, IDEOLOGIA E PERCEPÇÃO

EÇA E A EUROPA OU AS SUAS RAZÕES
CARLOS REIS

OS INTELECTUAIS E A IDEIA DE EUROPA
MARIA MANUELA TAVARES RIBEIRO

A PERCEPÇÃO INSULAR DA EUROPA
JOSÉ GUILHERME REIS LEITE

UMA EUROPA DE NAÇÕES OU OS DENTES DE CADMO
EDUARDO LOURENÇO

COMENTÁRIO
ADRIANO MOREIRA

PARTE II
OS DESAFIOS POLÍTICOS

PORTUGAL E A IDEIA FEDERAL EUROPEIA: DA REPÚBLICA AO FIM DO ESTADO NOVO
ANTÓNIO MARTINS DA SILVA

A CONSTRUÇÃO EUROPEIA E A DEFESA DAS IDENTIDADES NACIONAIS: UMA PERSPECTIVA NORMATIVA
A. BARBOSA DE MELO

A PARTICIPAÇÃO DE PORTUGAL NAS INSTITUIÇÕES INTERNACIONAIS DO APÓS-GUERRA
JOSÉ CALVET DE MAGALHÃES

A ESTRATÉGIA PARA A ADESÃO ÀS INSTITUIÇÕES EUROPEIAS
J. MEDEIROS FERREIRA

AS PERSPECTIVAS DEPOIS DE NICE
ANTÓNIO VITORINO

COMENTÁRIO
J. J. GOMES CANOTILHO

PARTE III
O QUADRO ECONÓMICO: RISCOS E OPORTUNIDADES

A PARTICIPAÇÃO DE PORTUGAL NA EFTA
V. XAVIER PINTADO

O PROCESSO DE INTEGRAÇÃO DE PORTUGAL NAS COMUNIDADES (EUROPEIAS) - UMA AVALIAÇÃO GERAL, DÉCADA E MEIA DEPOIS
ERNÂNI RODRIGUES LOPES

EUROPA SEGURO CONTRA A VORACIDADE
JORGE BRAGA DE MACEDO

O SONHO DA CONVERGÊNCIA REAL
MANUEL

PORTO O EQUILÍBRIO DE INTERESSES NA UNIÃO EUROPEIA
VÍTOR MARTINS

COMENTÁRIO
JACINTO NUNES

Portugal e a Construção Europeia
ISBN: 9789724018331 Editor: Edições Almedina Idioma: Português Dimensões: 158 x 228 x 16 mm Encadernação: Capa mole Páginas: 276 Tipo de Produto: Livro Classificação Temática: Livros  >  Livros em Português  >  Direito  >  Direito Comunitário
X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.