Bertrand.pt - Lei do Jogo - Anotada e Comentada

Lei do Jogo - Anotada e Comentada

de Januário Pinheiro 

Editor: Edições Almedina
Edição ou reimpressão: maio de 2006
40,39€
32,31€
Esgotado ou não disponível.

Pela primeira vez, em Portugal, dá-se a conhecer ao público, em geral, os segredos do intrincado mundo normativo que urde a actividade do jogo de fortuna ou azar.
Na senda duma sociedade aberta, a Administração Pública tem de seguir-lhe o passo. Com esse propósito, todos os que de alguma forma intervêm nessa labuta são chamados a dar a sua quota-parte. Eles são os tribunais, através das magistraturas, eles são os professores em pareceres da matéria, eles são os legisladores corporizando o sentir geral, eles são os práticos da disciplina criada. Por isso, aqui se mesclam posições legais, controvérsias doutrinárias e jurisprudenciais. No entanto, uma instituição se sobreleva, dentre todas: a Inspecção-Geral de Jogos. É natural. Ela é, desde 1927, o organismo que tutela o jogo, em todo o território nacional.
Este livro é também um sinal dos tempos. O jogo é diversão, espectáculo. O casino é uma festa. O jogo, nos últimos 15 anos, teve uma evolução enorme. Modernizou-se, vendendo sonhos, e cresceu. A festa continua.
Porém, não levará muito tempo que o jogo não esteja ao pé da porta. Tudo mudará. O laissez faire, laissez passer vai erigir-se em cânone sagrado. Assim o determinam as finanças e reivindicam as pessoas.

PREFÁCIO

1 - A nova Administração Pública aberta ao diálogo com os cidadãos, inspirada em valores democráticos de clareza e transparência e empenhada em prestar aos utentes um serviço de qualidade, assenta, em grande parte, nos funcionários públicos.
[Carta Deontológica do Serviço Público, publicada no D.R., I Série-B, n.º 64, de 1993.03.17, págs. 1272 e 1273]

Pela primeira vez, em Portugal, a Lei do Jogo é anotada e comentada, duma forma sistemática e global. Constitui um primeiro passo para a condensação de conhecimentos e reflexões. Talvez, haja generalidades demasiadas, algumas semelhando ingenuidades, mas, através de um método discursivo, assume o autor a supina preocupação de ser compreendido pêlos mais variados leitores. Mesmo, assim, o escopo é abarcar todo o universo do jogo: o de fortuna ou azar (nuclear), as lotarias, apostas mútuas desportivas e outras (ditos jogos sociais), e o jogo do bingo. Esta obra pretende ser de divulgação, esclarecimento e estudo, para melhor defesa dos direitos e interesses legalmente protegidos, uma arrumação de fontes várias de informação, um repositório do acervo de dados sobre a evolução do jogo ao longo dos tempos e uma reflexão sobre um fenómeno com incidências político-sociais, fiscais e económicas, entre outras.
A necessidade e a urgência desta publicação reside no círculo reduzido de pessoas que toma conhecimento da regulamentação intensiva emanada da Inspecção-Geral de Jogos, organismo de inspecção tutelar do Estado, em matéria de jogo. Em Espanha, por exemplo, tudo o que se lhe refere é publicado em Boletim Oficial, ao passo que em Portugal, praticamente, só os decretos-leis, os decretos regulamentares e as portarias o são, colocando, desta forma, o público, em geral, fora da informação de todo um intrincado de normas que urde o sector do jogo.
Nesta linha, ao longo das páginas que se seguem, mesclam-se posições legais, doutrinárias e jurisprudenciais com normas regulamentares, pareceres e elementos históricos.
A desadequação da legislação às realidades político-económico-sociais exigia cada vez mais uma nova Lei do Jogo. Efectivamente, após a Revolução Democrática do 25 de Abril de 1974, o país abriu-se ao exterior, e com a adesão à União Europeia em l de Janeiro de 1986, reforçou tal abertura, integrando-se num vasto espaço de economia de mercado, e caminhou rapidamente para uma maior liberalização. O Jogo não podia escapar a esta lógica, e, em finais de 1989, é dada à luz a nova Lei que, já em 1995, sofreu uma importante reforma, no sentido do reforço da sua democratização, através da qual, para além de outras inovações, como veremos, consagrou o livre acesso às salas de máquinas e de bingo, mas, manteve restritas as entradas nas salas de jogos mistas e tradicionais e, ainda, integrou no seu seio a "magna" questão das modalidades afins dos jogos de fortuna ou azar, revogando definitivamente a Lei de Jogo anterior, Decreto-Lei n.° 48 912, de 18 de Março de 1969. No ano de 2005, voltaram as alterações com o Decreto-Lei n.º 40/2005, de 17 de Fevereiro, agora apenas a 12 artigos, mas onde se aprofunda a referida liberalização, nomeadamente, com a entrada livre nas salas mistas, com jogos tradicionais e máquinas.
Desde 1927 que existe uma certa unidade de princípios e uma ideia base de restrição. Contudo, com os novos ideários nascentes e florescentes, onde o dinheiro vale tudo, pressentem-se fortes bulimentos nesta área do ócio e do lazer.
O método expositivo utilizado persegue a autosuficiência, que consiste na transcrição equilibrada das remissões, de modo a dispensar, na maior parte dos casos, a consulta dos livros referenciados. Como todos compreenderão, este método não pode ser absoluto, pois, teríamos, a final, um resultado demasiado volumoso.
A expressão "Lei do Jogo" não constitui uma classificação técnica. Ela quer apenas sublinhar que é aqui que reside o núcleo fundamental, mas não único, da regulamentação da exploração e prática de jogos de fortuna ou azar, e que, de uma forma autorizada pelo Estado, se podem praticar nas zonas de jogo para o efeito criadas, o mesmo é dizer, que se podem jogar nas salas de jogos da rede de Casinos nacionais, bem como nas salas de jogo do bingo, abertas até 12 horas por dia, durante todo o ano.
A União Europeia tem mantido, "presa por agrafes", a autonomia de cada Estado membro na regulamentação atinente à matéria de jogo. Pergunta-se: Por quanto tempo? Será esta a última Lei de Jogo em Portugal?
Também, por isso, esta obra é um marco.

O AUTOR

ÍNDICE

PREFÁCIO
Lei n.° 14/1989, de 30 de Junho (lei de autorização legislativa)
Preâmbulo do Decreto-Lei n.° 422/89, de 2 de Dezembro (Lei do Jogo)
Preliminares e Trabalhos Preparatórios
Preâmbulo do Decreto-Lei n.° 10/95, de 19 de Janeiro (1.ª alteração)
Preâmbulo do Decreto-Lei n.° 40/2005, de 17 de Fevereiro (3.ª alteração)
Nota Preambular com Sumário do Acórdão do Tribunal de Justiça das Comunidades Europeias de 11 de Setembro de 2003

CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO II - DAS CONCESSÕES

CAPÍTULO III - DOS BENS AFECTOS ÀS CONCESSÕES

CAPÍTULO IV - DOS CASINOS
SECÇÃO I - DISPOSIÇÕES GERAIS
SECÇÃO II - DAS SALAS DE JOGOS

CAPÍTULO V - DA PRÁTICA DOS JOGOS NOS CASINOS

CAPÍTULO VI - DAS PESSOAS AFECTAS À EXPLORAÇÃO E À PRÁTICA DOS JOGOS EM CASINOS
SECÇÃO I - DOS ÓRGÃOS DAS CONCESSIONÁRIAS E DAS DIRECÇÕES DOS CASINOS
SECÇÃO II - DO PESSOAL DAS SALAS DE JOGOS

CAPÍTULO VII - DO REGIME FISCAL

CAPÍTULO VIII - DA INSPECÇÃO E DAS GARANTIAS
SECÇÃO I - DA INSPECÇÃO
SECÇÃO II - DAS GARANTIAS

CAPÍTULO IX - ILÍCITOS E SANÇÕES
SECÇÃO I - DOS CRIMES
SECÇÃO II - VIOLAÇÃO DE DEVERES DAS CONCESSIONÁRIAS
SECÇÃO III - CONTRA-ORDENAÇÕES PRATICADAS PELOS EMPREGADOS DAS CONCESSIONÁRIAS
SECÇÃO IV - CONTRA-ORDENAÇÕES PRATICADAS PÊLOS FREQUENTADORES DAS SALAS DE JOGOS

CAPÍTULO X - PLANOS DE OBRAS DAS ZONAS DE JOGO

CAPÍTULO XI - DAS MODALIDADES AFINS DOS JOGOS DE FORTUNA OU AZAR E OUTRAS FORMAS DE JOGO

CAPÍTULO XII - DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS E FINAIS

LEGISLAÇÃO ESPECIAL DO JOGO DO BINGO (ARTIGO 8.°):
II - Regulamento da Exploração do Jogo do Bingo (REJB), em anexo ao diploma legal - Decreto-Lei n.° 314/95, de 24 de Novembro
III - Regulamento do Jogo do Bingo - Despacho Normativo n.° 80/85, de 5 de Agosto
IV - Regulamento n.° 1/2001, de 3 de Abril, do Inspector-Geral de Jogos
V - Alguns Comentários e Jurisprudência

ESTUDOS PARCELARES:
1.° - Concessões de Jogo em Portugal desde 1927 e suas vicissitudes
2.° - Fontes Normativas do Jogo em Portugal desde 1927

Lei do Jogo - Anotada e Comentada
de Januário Pinheiro 
ISBN: 9789724027722 Ano de edição ou reimpressão: Editor: Edições Almedina Idioma: Português Dimensões: 150 x 230 x 20 mm Páginas: 720 Tipo de Produto: Livro Classificação Temática: Livros  >  Livros em Português  >  Direito  >  Direito Administrativo

Sugestões

Novo Procedimento e Processo Administrativo
20%
portes grátis
13,90€ 11,12€
Porto Editora
Salvar o SNS
20%
portes grátis
11,00€ 8,80€
Porto Editora
X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.