Bertrand.pt - Império à Deriva

Império à Deriva

A Corte Portuguesa no Rio de Janeiro 1808-1821

de Patrick Wilcken 

Editor: Livraria Civilização Editora
Edição ou reimpressão: dezembro de 2005
24H
Portes
Grátis
10%
20,09€
Poupe 2,01€ (10%) Cartão Leitor Bertrand
Em stock - Envio imediato
portes grátis

Em 1807, no auge das guerras napoleónicas, o príncipe regente português D. João tomou auma decisão extraordinária. Apesar de horrorizado com a ideia de uma viagem marítima, optou por transferir toda a Corte e o Governo para a maior colónia de Portugal, o Brasil.
Com as tropas francesas a apertar o cerco a Lisboa, um total de 10.000 aristocratas, ministros, sacerdotes, e criados, sobe a bordo das frágeis embarcações da frota portuguesa. Após uma difícil viagem transatlântica sob escolta britânica, desembarcaram imundos, cheios de piolhos e esfarrapados, para grande surpresa dos súbditos do Novo Mundo.

A transferência da Corte e do governo português para o Brasil deu incício a um período único de governo imperial a partir dos trópicos, que durou treze anos. O Rio de Janeiro não tardou a ser beneficiado com uma nova Ópera, um luxuriante Jardim Botâncio e um Paço Real - uma Versailles Tropical - tendo como esplêndico pano de fundo montanhas revestidas de vegetação luxuriante. Mas esta fachada metropolitana só parcialmente obscurecia a actividade brutal daquele que era o maior porto de escravos das Américas. Enquanto Patrick Wilcken dá vida a este período extraordinário, combinando ricos testemunhos contemporâneos com uma evocação plena de ideias do único momento na História em que a realeza europeia viveu numa colónia.

Críticas

Não há absoluta certeza, mas os números, mesmo que variáveis, são poderosos oito mil a 15 mil pessoas terão partido com a família real para o Brasil na iminência da chegada do exército de Junot: entre esses milhares estava grande parte do que identificamos hoje como o aparelho de Estado. Foi a 29 de Novembro de 1807 e não foi apenas o aparato destes números que impressionou Patrick Wilcken; foi também o desespero e apreensão que esta monumental coluna de refugiados terá sentido nessa viagem para um futuro incerto.

Patrick Wilcken relata a experiência com grande humanidade, cruzando dados de cariz erudito com uma narrativa vívida, que fez a crítica britânica aplaudir esta sua primeira obra e, de algum modo, redescobrir também um pouco da sua própria história. Sobretudo através da figura de Lord Strangford, o enviado britânico a Lisboa que "desempenhou papel instrumental na fuga e nos primeiros anos no Rio", como lembra o autor ao DN. A par de D. Carlota, Strangford foi, para si, uma das personagens mais ricas, e, tal como a mulher de D. João VI, pelo seu perfil contraditório. "Diplomata dúplice", abriu-lhe "uma janela para a diplomacia e a política do tempo". Marrocos, o arquivista, foi outra figura que o marcou, tal como D. João, sem o qual nada disto teria sido possível, "e em torno do qual persistem tantos mistérios". Lembra Patrick Wilcken "Por que razão ficou a corte tanto tempo no Brasil, já depois da expulsão dos franceses? É muitas vezes referido que D. João vai para o Brasil, apaixona-se e quer ficar. Penso que, para lá do evidente enamoramento de D. João, a questão é mais complexa. À medida que a situação se deteriorava em Portugal, tornava-se cada vez mais difícil voltar."

Para ultrapassar a distância de 200 anos que nos separa desses dias, Patrick Wilcken procurou escrever grande parte do seu livro nos lugares onde tudo se passou. A sua ligação a temas portugueses, essa, intensificou-se. E tudo indica que a retomará "Fiz muita pesquisa sobre o império português, mas, infelizmente, não havia espaço para incorporar todo esse material. É outra história épica! Mas a ideia continua comigo. Interessa-me particularmente o momento em que Portugal se lança no comércio à escala global. Terei de novo de encontrar um episódio que me ajude a entrar nesse panorama". Presentemente tem em mãos um livro sobre Claude Lévi-Strauss e os anos que passou no Brasil, projecto que, diz, "vai levar alguns anos a realizar".

Império à Deriva foi apresentado na Academia Portuguesa de História, pelo prof. Veríssimo Serrão.

in Diário de Notícias

Império à Deriva
A Corte Portuguesa no Rio de Janeiro 1808-1821
ISBN: 9789722622523 Ano de edição ou reimpressão: Editor: Livraria Civilização Editora Idioma: Português Dimensões: 156 x 233 x 23 mm Encadernação: Capa mole Páginas: 328 Tipo de Produto: Livro Classificação Temática: Livros  >  Livros em Português  >  História  >  História de Portugal

Sugestões

Da Lusitânia a Portugal
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
22,20€
Bertrand Editora
Brevíssima História de Portugal
10%
portes grátis
10% Cartão Leitor Bertrand
15,90€
Tinta da China
X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.