Este Mundo, Sem Abrigo - Jorge Gomes Miranda
Edição/reimpressão:
2003
Páginas:
88
Editor:
Relógio D'Água
ISBN:
9789727087594
Idioma:
Português
10%
10%
€9,08
€8,17
Ganhe €0,91
Em stock - Envio imediato
 

Sinopse

Sexto livro de poemas de Jorge Gomes Miranda, uma das referências da poesia portuguesa dos anos 90, e um dos poetas para o século XXI, parodiando o título do livro de José Ricardo Nunes, que inclui um estudo sobre o autor de "Curtas Metragens".
Este Mundo, Sem Abrigo de Jorge Gomes Miranda
Críticas de imprensa
"O poder de observação e a mestria narrativa que se evidenciam na abordagem do impacto íntimo com que enfrentamos os choques sociológicos do mundo à nossa volta fazem dele o cronista em que melhor podemos folhear as imagens que nos devolvem, em jeito de 'reprise', o presente que estamos a viver.
"[...] O trajecto poético de Jorge G. Miranda insere-se em toda uma tradição da poesia contemporânea (de Cavafis a Larkin) que procura recuperar para o poema uma vocação narrativa [...]."
António Brás, Público, Mil Folhas

"O chamado "confessionalismo" acaba por ser pouco importante nesta poesia, que, pelo contrário, exprime uma notória abertura ao real, mesmo se a um real seleccionado. O mote está no verso: "Vê. Atenta. Anota". De facto, Jorge Gomes Miranda está interessado no "que fere, / reduz, interdita", nas narrativas que não terminam, no lodo, na água turva. Mas, fora disso, a poesia não tem realmente assunto: "A meio do caminho ouves o coração bater / de um modo estranho e assustas-te. / Algo a debater-se, / a procurar inutilmente sair de uma gaiola, um pássaro / aterrado. / Estás num café, longe de casa. / Aguardas um telefonema. / Lá fora, o Verão em todo o seu esplendor. / Retiras da mochila um lápis / e começas a escrever num qualquer papel. / Esse movimento, mais do que estas palavras / sossegam-te. / Não tarda retomarás a vida, voraz e indiferente. / Até à próxima vez?"."
Pedro Mexia, Diário de Notícias

comentários

Coloque aqui o seu comentário - Este Mundo, Sem Abrigo
Nome:
Título do comentário
Comentário
 
 
 
 
 
* campos de preenchimento obrigatório
 

Autor


Jorge Gomes Miranda nasceu no Porto, em 1965.
Publicou três livros de poesia: O que nos protege, Pedra Formosa, 1995; Portadas Abertas, Presença 1999 e Curtas-Metragens, Relógio D'Água, 2002.
No âmbito do Porto 2001, Capital Europeia da Cultura, escreveu uma novela O Transplante, incluída em Registos de uma transformação, Porto, 2001/2002, e organizou duas antologias literárias: Tráfico, antologia crítica da nova literatura portuguesa, e Double Face, antologia de autores portugueses que escreveram sobre a Holanda e de autores holandeses que escreveram sobre Portugal, do século XVI ao século (...)

Bibliografia

2008
Teatro de Vila Real
2006
Teatro de Vila Real
2005
Assírio & Alvim
2003
Editorial Presença
2003
Campo das Letras
2003
Relógio D'Água

Características

Este Mundo, Sem Abrigo de Jorge Gomes Miranda

Ano de edição ou reimpressão: 2003

Editor: Relógio D'Água

Idioma: Português

Dimensões: 138 x 210 x 5 mm

Encadernação: Capa mole

Páginas: 88


Tipo de Produto: Livro

Classificação Temática:

Livros em Português
Literatura > Poesia


Este Mundo, Sem Abrigo
 
"[...] O trajecto poético de Jorge G. Miranda insere-se em toda uma tradição da poesia contemporânea (de Cavafis a Larkin) que procura recuperar para o poema uma vocação narrativa [...]."
António Brás, Público, Mil Folhas

"O chamado "confessionalismo" acaba por ser pouco importante nesta poesia, que, pelo contrário, exprime uma notória abertura ao real, mesmo se a um real seleccionado. O mote está no verso: "Vê. Atenta. Anota". De facto, Jorge Gomes Miranda está interessado no "que fere, / reduz, interdita", nas narrativas que não terminam, no lodo, na água turva. Mas, fora disso, a poesia não tem realmente assunto: "A meio do caminho ouves o coração bater / de um modo estranho e assustas-te. / Algo a debater-se, / a procurar inutilmente sair de uma gaiola, um pássaro / aterrado. / Estás num café, longe de casa. / Aguardas um telefonema. / Lá fora, o Verão em todo o seu esplendor. / Retiras da mochila um lápis / e começas a escrever num qualquer papel. / Esse movimento, mais do que estas palavras / sossegam-te. / Não tarda retomarás a vida, voraz e indiferente. / Até à próxima vez?"."
Pedro Mexia, Diário de Notícias Sexto livro de poemas de Jorge Gomes Miranda, uma das referências da poesia portuguesa dos anos 90, e um dos poetas para o século XXI, parodiando o ..." /> " />

Do mesmo autor

Jorge Gomes Miranda 
Jorge Gomes Miranda 
Jorge Gomes Miranda 

Veja outros titulos do tema

José Tolentino Mendonça 
Nikolai Gógol 
Preços, descontos e ofertas válidos apenas online
|   Condições gerais de venda   |   Compras 100% seguras   |   Política de Privacidade   |   Ajuda    |   Recrutamento   |
©2013 Grupo Bertrand Círculo. Todos os direitos reservados, Lisboa, Portugal