Diálogo Sobre a Ordem - Santo Agostinho
Edição/reimpressão:
2000
Páginas:
266
Editor:
INCM – Imprensa Nacional Casa da Moeda
ISBN:
9789722710411
Idioma:
Português
10%
€18,68
Ganhe €1,87
Esgotado ou não disponível
 

Sinopse

Tradução, introdução e notas de Paula Oliveira e Silva - Revisão da tradução de Paulo Farmhouse Alberto - Edição bilingue
Diálogo Sobre a Ordem. Cassicíaco, Novembro de 386. Em debate, o eterno enigma do mal. A razão habituou-se a respostas fáceis: ou Deus não governa o mundo ou, se o governa, anda distraído. O ano 386 parece eivar a existência de Agostinho de gestos irrazoáveis: abandona a prestigiosa carreira de professor de Retórica em Milão; resigna da seita maniqueísta onde durante nove anos partilhara convicções, dúvidas e anseios acerca do mal e da morada da Verdade. Agostinho procura agora a solidão recatada, o pousio do espírito para alicerçar a sua mundividência. Cassicíaco oferece o ecossistema adequado ao descanso e à reflexão: um espaço rural, abundante em prados verdes, animais de campo, regados e torrentes, onde não faltam mesmo os balneae romanos. Ante o escândalo do mal, a resposta do Hiponense brota, desconcertante. Urge produzir cultura, tarefa confiada por excelência à Filosofia. Se esta falta, tudo se confunde, em cada espírito humano e no rumo da Humanidade. O apelo de Santo Agostinho dirige-se ao ser humano hodierno e à comunidade de que ele é responsável. Esfumada a identidade da Filosofia, questionada a sua legitimidade, ciência e tecnologia arvoram-se hoje em verdadeiras divindades, deixando por justificar a sua eficácia própria e, sobretudo, a sua impotência - quando não a sua força destrutora - no confronto com o sofrimento e o mal, em suma, com a experiência limite da finitude e da morte.

Diálogo Sobre a Ordem de Santo Agostinho

comentários

Coloque aqui o seu comentário - Diálogo Sobre a Ordem
Nome:
Título do comentário
Comentário
 
 
 
 
 
* campos de preenchimento obrigatório
 

Autor


Agostinho cresceu no norte da África colonizado por Roma, educado em Cartago. Foi professor de retórica em Milão em 383. Seguiu o Maniqueísmo nos seus dias de estudante e se converteu ao cristianismo pela pregação de Ambrósio de Milão. Foi batizado na Páscoa de 387 e retornou ao norte da África, estabelecendo em Tagaste uma fundação monástica junto com alguns amigos. Em 391 foi ordenado sacerdote em Hipona. Tornou-se um pregador famoso (há mais de 350 sermões dele preservados, e crê-se que são autênticos) e notado pelo seu combate à heresia do Maniqueísmo. Defendeu também o uso de força contra os Donatistas, perguntando "Por que (...) a Igreja não deveria usar de força para compelir seus filhos perdidos a retornar, se os filhos perdidos compelem outros à sua própria destruição?" (A Correção dos Donatistas, 22-24) Em 396 foi nomeado bispo assistente de (...)
Diálogo entre pai e filho sobre a linguagem e a descoberta da verdade interior

Bibliografia

2013
Imprensa da Universidade de Coimbra
2010
Edições 70
2010
Largebooks
2007
Paulinas Editora
2007
Coisas de Ler
2006
Fundação Calouste Gulbenkian
2005
Editora Vozes

Características

Diálogo Sobre a Ordem de Santo Agostinho

Ano de edição ou reimpressão: 2000

Editor: INCM – Imprensa Nacional Casa da Moeda

Idioma: Português

Dimensões: 147 x 239 x 28 mm

Encadernação: Capa mole

Páginas: 266


Tipo de Produto: Livro

Classificação Temática:

Livros em Português
Ciências Sociais e Humanas > Filosofia
Literatura > Ensaios


Diálogo Sobre a Ordem
 
" />

Do mesmo autor

Santo Agostinho 
(2ª Edição)
Santo Agostinho 
Diálogo entre pai e filho sobre a linguagem e a descoberta da verdade interior
Santo Agostinho 

Veja outros titulos do tema

ou os paradoxos da felicidade
Luc Ferry 
Para uma Fenomenologia da Vida e da Clínica
Florinda Martins 
Pierre Mesnard 
Preços, descontos e ofertas válidos apenas online
|   Condições gerais de venda   |   Compras 100% seguras   |   Política de Privacidade   |   Ajuda    |   Recrutamento   |
©2013 Grupo Bertrand Círculo. Todos os direitos reservados, Lisboa, Portugal