Da Crítica da Ciência à Negação da Ciência - Jorge Dias de Deus
Edição/reimpressão:
2003
Páginas:
124
Editor:
Gradiva
ISBN:
9789726629283
Coleção:
Idioma:
Português
10%
€9,59
Ganhe €0,96
Envio até 4 dias
 

Sinopse

«Diz BSS: "Em vez da eternidade, temos a história; em vez do determinismo, a imprevisibilidade; em vez do mecanismo, a interpenetração, a espontaneidade e a auto-organização; em vez da reversibilidade, a irreversibilidade e a evolução; em vez da ordem, a desordem; em vez da necessidade, a criatividade e o acidente." Descontando a "interpenetração", que não sei o que é, e o "em vez da ordem a desordem" (estaria de acordo com: em vez de uma ordem estabelecida, a ordem a partir da desordem) subscrevo inteiramente a frase. E daí?
Há em todo o texto de BSS uma convicção e um voluntarismo que devem ser respeitados. Mas, realmente, não vejo que daí venha qualquer ameaça séria para o paradigma da ciência.
O discurso da queda iminente do paradigma da ciência faz-me lembrar os tempos do comunismo de Estado, em que se fazia o discurso da queda iminente do capitalismo, do imperialismo e de tudo o mais. Viu-se... A simplificação, de um problema, levada ao absurdo, para que aparentemente possa ser resolvido de acordo com os nossos desejos, é um erro que normalmente se paga caro.
É este o ponto principal de discordância com BSS. Não creio, independentemente do meu desejo, que haja uma crise no paradigma da ciência. Fomentar amanhãs alegremente catastróficos que não ocorrem, não parece boa política. Faz-me lembrar aquela história que me contou, há bem pouco tempo, um amigo russo: "Dantes (nos tempos do comunismo estatal), o nosso objectivo era chegar ao nível dos Estados Unidos, hoje, o objectivo anunciado pelo governo é chegar ao nível de Portugal..." Isto é, tantos anúncios de "revoluções", para não se chegar a lado nenhum...»
Da Crítica da Ciência à Negação da Ciência de Jorge Dias de Deus
Críticas de imprensa
"O discurso é fluido e está polvilhado por expressões de fino humor que prendem o leitor até o final da leitura (...) 'Da Críticada Ciência à negação da Ciência' é um livro que ajuda a perceber a ciência tal como ela é, e não como alguns querem que ela seja. E é um livro que ajuda a dirimir algumas polémicas que recentemente surgiram no mundo e que tiveram alguma repercussão entre nós. Leitor, faça o favor de o ler!"
in O Primeiro de Janeiro, 06.10.03

"Jorge Dias de Deus é físico de formação e divulgador de coração. E isso vê-se neste texto, escrito de forma clara, sem tiques de literato, rico de conteúdo, de referências, de discussão e limpo de qualquer verbosidade inútil."
in, Jornal de Letras, 29 de Outubro de 2003

comentários

Coloque aqui o seu comentário - Da Crítica da Ciência à Negação da Ciência
Nome:
Título do comentário
Comentário
 
 
 
 
 
* campos de preenchimento obrigatório
 

Autor


Jorge Dias de Deus é professor catedrático jubilado no Instituto Superior Técnico, da Universidade de Lisboa, com notável obra científica em física de altas energias, astrofísica e cosmologia, e sistemas dinâmicos. Presidiu ao Centro Multidisciplinar de Astrofísica (CENTRA) durante muitos anos. Para além do seu trabalho académico, sempre se preocupou com a cultura científica, sendo autor dos livros Ciência, Curiosidade e Maldição, Da Crítica da Ciência à Negação daCiência, Einstein... Albert Einstein (com Teresa Peña) e Viagens no Espaço-Tempo publicados também pela Gradiva, nesta coleção «Ciência (...)

Características

Da Crítica da Ciência à Negação da Ciência de Jorge Dias de Deus

Ano de edição ou reimpressão: 2003

Editor: Gradiva

Idioma: Português

Dimensões: 135 x 209 x 7 mm

Encadernação: Capa mole

Páginas: 124

Coleção: Ciência Aberta


Tipo de Produto: Livro

Classificação Temática:

Livros em Português
Ciências Sociais e Humanas > Outros


Da Crítica da Ciência à Negação da Ciência
 
in O Primeiro de Janeiro, 06.10.03

"Jorge Dias de Deus é físico de formação e divulgador de coração. E isso vê-se neste texto, escrito de forma clara, sem tiques de literato, rico de conteúdo, de referências, de discussão e limpo de qualquer verbosidade inútil."
in, Jornal de Letras, 29 de Outubro de 2003 «Diz BSS: "Em vez da eternidade, temos a história; em vez do determinismo, a imprevisibilidade; em vez do mecanismo, a interpenetração, a espontan..." />

Do mesmo autor

De onde vimos ? Onde estamos ? Para onde vamos ?
Jorge Dias de Deus 
(3ª Edição)
Ana Noronha 
Homem, cidadão, cientista
Teresa Peña 

Veja outros titulos do tema

O Como, Quando e Porquê da Perda de Memória
Martha Weinman Lear 
Perspetivas atuais
Fátima Almeida 
Preços, descontos e ofertas válidos apenas online
|   Condições gerais de venda   |   Compras 100% seguras   |   Política de Privacidade   |   Ajuda    |   Recrutamento   |
©2013 Grupo Bertrand Círculo. Todos os direitos reservados, Lisboa, Portugal