Curso | 25 de Abril - História do Povo na Revolução Portuguesa

22/04/2021 às 18h00

CURSO | 25 DE ABRIL - HISTÓRIA DO POVO NA REVOLUÇÃO PORTUGUESA (ONLINE)
Com Raquel Varela
 

A Revolução dos Cravos foi o mais importante movimento revolucionário da Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1945) aos nossos dias. Começou no dia 25 de abril de 1974, uma quinta-feira chuvosa, como um golpe de Estado contra a Guerra Colonial, liderado pelo Movimento das Forças Armadas (MFA). Esse golpe foi, porém, a semente de uma revolução social. A ligação entre os 13 anos de guerra nas colónias contra as lutas de libertação e o 25 de Abril é um facto crucial. Encetada em Lisboa como uma revolução política democrática contra o regime de ditadura – Democratizar, Descolonizar e Desenvolver, os três Ds do programa do MFA -, transformou-se também numa revolução social, que colocou a democracia social e participativa no centro da vida, mudando as relações de produção e organização sociais. 

Esta revolução democrática viveu as suas primeiras eleições a 25 de abril de 1975, depois de uma longa noite de 48 anos de ditadura, com uma taxa de participação superior a 90% – celebra-se o direito ao voto, o sufrágio universal. Mas antes das eleições o povo emergiu, como nunca na história do país, e em poucas horas, na Baixa-Chiado, e em poucos dias ou semanas, em todo o país, foi quase totalmente desmantelado o regime político da ditadura e substituído por um regime democrático. De imediato, a 25 de abril milhares de pessoas saíram à rua, e foi com multidões à porta, a gritar “morte ao fascismo”, que no Quartel do Carmo, em Lisboa, o Governo foi cercado; as portas das prisões de Caxias e Peniche abriram-se para saírem todos os presos políticos; a PIDE/DGS, a polícia política, foi desmantelada. Portugal foi, ao lado do Vietname, o país mais acompanhado pela imprensa internacional de então, porque as imagens das pessoas dos bairros de barracas sorrindo de braços abertos ao lado de jovens militares barbudos e alegres encheram de esperança os povos de Espanha, Grécia, Brasil … e de júbilo a maioria dos que aqui viviam. Uma das características das fotografias da revolução portuguesa é que nelas as pessoas estão quase sempre a sorrir. Não por acaso, Chico Buarque cantou: “Sei que estás em festa, pá”.

 


 

DATAS: 21, 22, 28 e 29 de abril, das 18h00 às 19h00

Inscrição: 40,00€

Formulário de Inscrição: bit.ly/curso-25-abril

ONLINE