8 Curiosidades sobre a Black Friday

Por: Sónia Rodrigues Pinto a 2021-10-29 // Coordenação Editorial: Marisa Sousa

Últimos artigos publicados

Retratos Contados | Uma biblioteca feita por avós e netos

Há seis anos, Nélson Mateus empenhou a sua energia numa missão: falar da importância da ligação intergeracional entre avós e netos, valorizando os mais velhos e estreitando laços entre gerações. Na altura, não havia qualquer projeto com estas características e Nélson pôs em marcha o plano de entrevistar avós e netos, traçando, com histórias, o fio das memórias afetivas que nos une. Isabel Stilwell descreveu-o como a construção de uma biblioteca de avós e netos e o mentor da ideia revê-se na descrição, que considera perfeita.

Contra o Idadismo

O psiquiatra Robert Neil Butler terá sido o primeiro (ou um dos primeiros) a batizar como ageism (idadismo) a atitude preconceituosa e discriminatória baseada na idade, sobretudo em relação a pessoas idosas. Numa entrevista concedida em 1969 a Carl Bernstein (Washington Post) no âmbito de uma reportagem que o jornalista desenvolveu sobre a contestação suscitada pela decisão de transformar um complexo de apartamentos na pequena vila de Chevy Chase (Maryland) num bairro social para idosos carenciados, nomeadamente afro-americanos, Butler considerou o caso mais uma função de idadismo do que de racismo: “O idadismo irá ombrear com (seria esperança vã dizer antes substituir) o racismo como o grande tema dos próximos 20 ou 30 anos”.

10 livros para descomplicar a filosofia

Apesar da crença do comediante e ator Groucho Marx de que a filosofia não é mais do que “a ciência que nos ensina a ser infelizes de maneira mais inteligente”, a filosofia tem sido, desde o início dos tempos, uma ferramenta indispensável para melhor nos conhecermos e ao mundo que nos rodeia.

A Black Friday ficou conhecida como a data que dava início à época de compras de Natal. Com origem nos Estados Unidos da América, passou a estar associada, também, ao dia a seguir ao de Ação de Graças (Thanksgiving Day), uma festividade tipicamente americana celebrada na última quinta-feira de novembro. Mesmo sem Thanksgiving Day, a verdade é que o resto do mundo adotou a Black Friday, procurando replicar a loucura vivida no país do Tio Sam. 

Com o aproximar da sexta-feira mais aguardada do ano, partilhamos algumas curiosidades sobre este dia, desde a sua origem aos produtos mais procurados, não descurando o caso português. 

 


 

 

Black Friday na Macy's em 1931 Black Friday na Macy's em 1931
 
Os dias antes de Natal na loja americana Macy's, em 1948. Fotografias de Nina Leen.
 
1. Origem da Black Friday

Especula-se que o termo Black Friday tenha várias origens. Uma delas remonta ao ano de 1869, quando os especuladores financeiros Jay Gould e James Fisk compraram a dívida pública americana. Convencidos de que ambos iriam lucrar com a compra, acabaram por fracassar quando, a 24 de setembro, o mercado entrou em bancarrota. 

Só um século depois voltaria a ser utilizado este nome, desta vez para descrever o dia a seguir ao de Ação de Graças, quando as ruas de Filadélfia colapsaram, acabando por ser noticiado pelo jornal The New York Times como “o dia mais movimentado de compras e trânsito” na cidade.

 

Anúncios da Black Friday em 1985

 

2. A Black Friday como a conhecemos hoje

De acordo com o jornal BBC, só na primeira década de 2000 é que a Black Friday ganhou a força e popularidade que conhecemos hoje. Até essa data, o sábado antes do Natal era conhecido como o dia em que se registava o maior número de compras nos Estados Unidos da América. 

Por esta altura, outros países decidiram também adoptar a Black Friday e aproveitar o frenesim pelas melhores promoções, fazendo com que esta data, tão associada ao Thanksgiving Day, passasse a ser vista como um evento internacional.
 

Rapaz na Toys R' Us

Rapaz na montra da Toys R' Us, em 2014, na Times Square.

 

3. Uma noite sem sono à procura dos melhores descontos 

Até ao final de 2010, as lojas americanas abriam por volta das seis da manhã para receber os seus clientes para a Black Friday. Contudo, alguns retalhistas começaram a mudar os horários, obrigando as lojas a abrir a partir das cinco ou até quatro da manhã. 

Em 2011, algumas empresas como a Target, Kohl’s, Macy’s e Best Buy, chegaram a um novo recorde ao abrirem à meia-noite, o que levou a protestos e, inclusive, à proibição, em alguns estados, da abertura de lojas durante o dia de Ação de Graças. 
 

Hulton Archives, Getty Images

Hulton ArchivesGetty Images, de 1932

4. Black Friday à portuguesa

Em Portugal, a Black Friday foi bem recebida entre comerciantes e consumidores. De acordo com o Jornal Económico, citando um estudo da Picodi, em 2019 os portugueses gastaram, em média, cerca de 216€.

Já o site Black Friday Global garante que 43% dos portugueses já sabe o que vai comprar de antemão, sendo que as estatísticas dos últimos anos apontam o vestuário, o calçado, cosméticos e perfumes como os produtos mais procurados em Portugal. 
 

Online Shopping

 

5. Lojas vs. Online

De acordo com a SIBS, a gestora da rede Multibanco, a Black Friday de 2019, em Portugal, comprovou que os consumidores aproveitaram as grandes promoções nas lojas físicas, sendo que apenas 10,4% das compras foram feitas nas lojas online

Este ano, e face às restrições vividas em tempos de pandemia, especula-se que esta será a Black Friday mais digital da história.
 

Cards Against Humanity

 

6. O consumidor compra literalmente tudo na Black Friday

Sim, literalmente tudo. Se alguma vez ouviu falar do jogo de cartas satírico Cards Against Humanity, saberá certamente que os seus criadores são conhecidos pelo humor. Em 2015, a empresa lançou um anúncio informando que os seus clientes teriam a oportunidade de dar 5 dólares “e comprar-nos absolutamente nada” na Black Friday. No final, a empresa recebeu 71 mil dólares por esta promoção inovadora. 

 

Anúncios da Black Friday em 1985

Consumidores entram em disputa por causa de uma televisão. Reuters / Luke MacGregor, via The Washington Post

 

7. Uma Black Friday demasiado negra

Os vídeos e imagens de clientes irrompendo pelas lojas e, inclusive, entrando em disputas violentas pelos últimos produtos em promoção, são já bem conhecidos. Em 2008, duas pessoas morreram depois de uma altercação que acabou em tiros, na Toys R Us, no estado da Califórnia. Dois anos depois, um homem foi confrontado por dois oficiais da Marinha depois de este ter roubado um computador na loja Best Buy. Em resposta, o assaltante esfaqueou um dos militares e tentou fugir, sem grande sucesso. 

De acordo com o jornal Observador, só na última década 11 pessoas morreram e centenas ficaram feridas na corrida pelos descontos da Black Friday, nos Estados Unidos da América.
 

 

 

8. Depois de comprar, a oportunidade de oferecer

Criado intencionalmente na terça-feira a seguir à Black Friday, o Giving Tuesday inspira milhões de pessoas em todo o mundo a dar a cara e a retribuir às causas que são relevantes para cada um. Este movimento nasceu nos Estados Unidos da América, em 2012, e conta com o apoio da Fundação Bill & Melinda Gates. 

Esta organização estreou-se em Portugal no ano passado e a próxima edição está marcada para o dia 30 de novembro.

X
O QUE É O CHECKOUT EXPRESSO?


O ‘Checkout Expresso’ utiliza os seus dados habituais (morada e/ou forma de envio, meio de pagamento e dados de faturação) para que a sua compra seja muito mais rápida. Assim, não tem de os indicar de cada vez que fizer uma compra. Em qualquer altura, pode atualizar estes dados na sua ‘Área de Cliente’.

Para que lhe sobre mais tempo para as suas leituras.